Os policiais civis da Bahia fazem hoje uma paralisação de advertência de 24 horas para cobrar do governo do Estado a contratação de pessoal e melhorias nas condições de trabalho. Eles querem a convocação imediata de 340 agentes e escrivães concursados e aprovados no curso de formação, além da realização de novo concurso para a área.

De acordo com o Sindicato dos Policiais Civis da Bahia (Sindipoc), o Estado tem carência de quase 3 mil profissionais, segundo a Lei Orgânica da categoria. São 3.761 servidores, quando a legislação determina que sejam 6.640.

"Existe uma evidente sobrecarga de trabalho", justifica o presidente do Sindipoc, Carlos Gomes Lima dos Santos. "Cerca de 130 municípios da Bahia não têm policiais nas delegacias." O governo informa apenas que estuda a situação. De acordo tanto com a categoria quanto com a Secretaria de Segurança Pública do Estado, 30% do efetivo ocupa os postos de trabalho. Os policiais realizam serviços considerados essenciais, como registro de flagrante, levantamento cadavérico e remoção de corpos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.