Policiais civis ameaçam prolongar paralisação no RS

Os policiais civis do Rio Grande do Sul prometem prolongar a paralisação caso a Secretaria de Segurança Pública confirme a ameaça de cortar o ponto dos servidores parados desde ontem. Programado para terminar amanhã, o movimento atingiu 90% das delegacias de Porto Alegre, segundo o Sindicato dos Escrivães, Inspetores e Investigadores de Polícia (Ugeirm).

Agência Estado |

No interior, 80% paralisaram suas atividades. Todas, no entanto, mantêm servidores trabalhando para atender casos mais graves, como homicídios e latrocínios.

Após reunião de hoje com representantes do governo estadual, os líderes da categoria afirmaram que nenhuma de suas reivindicações, como a criação de um plano de carreira para a Polícia Civil, além de um concurso público para a contratação de novos agentes, foram atendidas. O presidente do Ugeirm, Isaac Ortiz, disse que o que foi oferecido já está garantido por lei ou sendo discutido na Justiça. "Saímos da reunião conforme entramos, sem nenhuma nova proposta".

Um dos itens apresentados pelo governo, a matriz salarial foi, segundo o sindicalista, conquistada em 2004 e para o próximo ano teria um percentual um pouco maior. Para tentar chegar a um acordo, uma nova reunião com o governo vai ser marcada para a semana que vem. Caso isso não aconteça, mesmo com a ameaça do corte de ponto, novas mobilizações não estão descartadas. "Vamos reunir a categoria novamente e ver o rumo que vamos fazer", afirmou Ortiz.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG