Os quatro policiais militares acusados de sequestrar dois jovens e executar um deles na última quarta-feira, na Penha, zona norte do Rio, tiveram sua prisão temporária decretada pela Justiça. De acordo com o delegado da Divisão de Homicídios, Felipe Ettore, serão colhidos os depoimentos dos quatro antes de eles serem encaminhados ao Batalhão Especial Prisional (BEP).

Segundo relatos, os dois jovens estavam em uma motocicleta quando foram abordados pelos PMs, perto da Vila Cruzeiro, na Penha.

Os celulares e a moto foram tirados deles, e os policiais teriam levado os dois para traficantes de Parada de Lucas, rivais aos da Cidade de Deus, onde moram os garotos. Lá, houve tiroteio, e eles conseguiram correr.

Logo depois, um deles teria sido recapturado pelos policiais e executado com dois tiros, na Penha. O corpo foi encontrado na quinta-feira.

A Polícia Militar divulgou nota sobre o assunto, alegando que "as graves acusações contra a conduta de quatro policiais causam indignação", e que elas seriam "apuradas com rigor".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.