Polícia vai reconstituir voo que matou pai e filha em Goiás

A Polícia Civil vai reconstituir, na próxima semana, o voo de Kleber Barbosa, em que ele morreu com a filha Penélope, de 5 anos. O delegado Manoel Borges de Oliveira, do 8º Distrito Policial, que apura a queda do avião no estacionamento do shopping Flamboyant, requisitou nesta segunda-feira ao governo do Estado um avião semelhante (Tupy) para mapear o trajeto.

Redação com Agência Estado |

"Reconstituir em pormenores o sobrevoo, desde o aeroclube em Luziânia à queda em Goiânia, é fundamental", disse Oliveira. A polícia tem 30 dias para encerrar o inquérito. Nesta segunda, ouviu o depoimento do sargento Adão Mota Corrêa: "Pelo que ouvi dele [o piloto], assim que iniciou o voo percebi que acabaria em tragédia", disse.

AE
Destroços do avião no estacionamento do shopping
Destroços do avião no estacionamento do shopping


Adão falou com o piloto suicida, pelo celular, após a decolagem no aeroclube, e avisou a Força Aérea Brasileira (FAB). Já o piloto Daniel Sírio, que assistiu aos rasantes sobre o aeroporto, disse que "as manobras caracterizaram um piloto experiente e conhecedor do avião que pilotava".

A viúva Érika Correa Santos será ouvida às 15 horas desta terça-feira. De acordo com seu advogado, Alexandre Mendes Pimentel, ela dirá à polícia que Kléber Barbosa premeditou toda a tragédia após a descoberta do caso de estupro de uma menor, na semana passada, em Aparecida de Goiânia. Antes da queda do avião, Érika Santos foi vítima de um ataque de Kléber. Ela foi ferida com um extintor de incêndio e jogada de um carro em movimento.

Veja o local do acidente:


Exibir mapa ampliado

O caso

Segundo informações da polícia, o desempregado Kléber Barbosa da Silva, de 31 anos, roubou, por volta das 16h de quinta-feira, um avião de um aeroclube em Luziânia, cidade próxima a Brasília. Ele teria enganado o piloto dizendo que gostaria de realizar um voo panorâmico com a filha, Penélope Barbosa Correia, de 5 anos.

Quando chegou à pista do aeroclube, porém, Silva teria rendido o piloto e roubado a aeronave. Em conversa por celular com o cunhado, ele teria dito que queria se matar e matar a filha. Silva teria ainda ameaçado provocar uma "tragédia ainda maior".

Após duas horas e meia de voo, a aeronave caiu no estacionamento do Flamboyant Shopping Center, o maior da cidade de Goiânia, atingindo 12 carros. Ninguém ficou ferido.

Ainda não está claro se ele cometeu suicídio ou se o combustível da aeronave acabou. As investigações vão avaliar se, antes da queda, havia combustível na aeronave, que ficou completamente destruída, para verificar se a colisão foi realmente proposital. A polícia não descarta a possibilidade de que Silva queria jogar a aeronave contra o shopping. Ele e a filha morreram no choque.

Antes do roubo do avião, Silva teria jogado a mulher, Érica Correia dos Santos, de 24 anos, para fora do carro após uma briga. A agressão, segundo a polícia, aconteceu poucas horas antes de Silva roubar a aeronave. Érica, que estava internada no Hospital de Urgência de Goiânia (Hugo) com escoriações, recebeu alta na manhã desta sexta-feira.

Veja o vídeo:

Veja também:

Leia mais sobre: queda de avião

    Leia tudo sobre: queda de avião

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG