Publicidade
Publicidade - Super banner
Brasil
enhanced by Google
 

Polícia reforça segurança em frente de casa de família de Glauco

A polícia reforçou a segurança em frente à casa onde o cartunista Glauco Villas Boas, de 53 anos, morava com sua família antes de ser assassinado juntamente com seu filho Raoni, de 25 anos, na sexta-feira. A informação foi confirmada ao iG pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP).

iG São Paulo |

 

O objetivo da medida é garantir a segurança de Bia, viúva de Glauco, e do resto da família na eventualidade de o principal suspeito do crime, o universitário Carlos Eduardo Sundfeld Nunes, de 24 anos, voltar à casa, localizada em Osasco.

A medida foi tomada apesar de Bia ter deixado sua residência no sábado, depois do enterro do marido e do enteado. Segundo Orlando Cardoso, primo de Glauco, ela está na casa de parentes.

Com cinco equipes com três policiais cada, a polícia está mobilizada para tentar encontrar Nunes, que continua foragido desde o dia do crime. De acordo com testemunhas e a polícia, ele teria invadido a casa das vítimas com pistola em punho. De acordo as investigações, ele queria levar o cartunista até sua casa. Acabou disparando dez vezes, acertando quatro tiros em cada um.

Segundo a SSP, os trabalhos de busca estão sendo feitos pela Polícia Civil de São Paulo em conjunto com a Polícia Estadual e a Polícia Federal, para impedir que Nunes fuga do P. A Interpol também foi notificada.

No sábado, a SSP informou que o dono do carro que teria sido usado para a fuga de Nunes foi identificado e localizado. Na noite de sábado, a polícia negociava a apresentação do dono do veículo para prestação de depoimento. Há informações de que ele se comprometeu a se apresentar acompanhado de seu advogado, em momento oportuno.

Futura Press
Reprodução divulgada pela SIG Osasco, mostra o carro que teria sido usado na fuga

Telefonema

O principal suspeito pelas mortes do cartunista e do filho teria ligado na noite de sábado para a casa de Bia. O delegado Archimedes Cassão Veras Júnior, do Setor de Investigações Gerais (SIG), da Delegacia Seccional da cidade, reconheceu que a ligação "provavelmente tenha ocorrido".

A SSP classificou como rumores informações de que Nunes teria ligado para a viúva na noite de sábado para pedir perdão pelo crime. O primo de Glauco também não confirmou a informação ao iG. "Ele não poderia ter conseguido falar com ela na noite de sábado na casa dela, já que Bia saiu de lá logo após o enterro", afirmou. "Só poderia falar com ela pelo celular, mas não sei se tem o número", completou.

Carreira

AE
Glauco em foto de 1986
Nascido em 1957, em Jandaia do Sul, no Paraná, Glauco Villas-Boas publicou sua primeira tira em 1976 no Diário da Manhã, de Ribeirão Preto. A carreira decolou após ser premiado no Salão Internacional de Humor de Piracicaba, também em 1976, e na 2ª Bienal de Humorismo y Gráfica de Cuba.

Glauco começou a publicar suas tiras no jornal "Folha de S.Paulo" de maneira esporádica em 1977 e, em 1984, os desenhos passaram a ser regulares. Ele desenvolveu os personagens Geraldão, Casal Neuras, Doy Jorge, Dona Marta e Zé do Apocalipse.

Como redator, fez parte do elenco de redatores da TV Pirata, da Rede Globo. Músico, também tocava em bandas de rock.

Em parceria com os cartunistas Angeli e Laerte, lançou os "Los Três Amigos", tira com histórias sarcásticas que também eram publicadas pela Folha. Em 2006, publicou o livro "Política Zero", com 60 charges sobre a crise no governo Lula.

*Com informações de Leda Balbino, iG São Paulo, e Agência Estado

Leia mais sobre: Glauco

Leia tudo sobre: glauco villas boas

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG