Polícia recupera dois dos quadros roubados da Estação Pinacoteca de São Paulo

Rio de Janeiro, 7 ago (EFE).- A Polícia recuperou dois dos quadros roubados em junho junto com duas obras de Pablo Picasso (1881-1973) da Estação Pinacoteca, em São Paulo, informaram hoje fontes oficiais.

EFE |

As obras recuperadas foram "Mulheres na janela" (1926), de Di Cavalcanti (1897-1976), e "O casal" (1919), de Lasar Segall (1891-1957).

A Polícia já tinha recuperado no dia 18 de julho a gravura "O pintor e seu modelo" (1963), de Picasso, e a única obra que continua desaparecida é "Minotauro, bebedor e mulheres" (1933), também do pintor espanhol.

As obras de Di Cavalcanti e Segall foram encontradas em Guaianases, na zona leste de São Paulo, durante uma operação da Delegacia de Repressão a Roubos Especiais do Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic), que permitiu a prisão de um dos homens acusados do roubo à Estação Pinacoteca.

A Polícia identificou o homem detido como Edmilson Silva do Nascimento, de 29 anos e gerente de padaria.

Segundo a Polícia, também foi identificada uma terceira pessoa envolvida no crime e que aparentemente ficou com o Picasso que ainda continua desaparecido.

Em julho, em outra operação na zona leste da capital paulista que permitiu recuperar a primeira obra de arte, a Polícia prendeu Wesley Teobaldo de Barros, um dos suspeitos do roubo à Estação Pinacoteca em 12 de junho.

O roubo foi realizado por três homens que, sem dificuldades e em poucos minutos, renderam os funcionários da Estação Pinacoteca, tiraram os quadros dos locais de exposição e saíram tranqüilamente do edifício, em pleno centro de São Paulo.

As quatro obras roubadas, pertencentes à Fundação José e Paulina Nemirovsky e que estavam no segundo andar da Estação Pinacoteca, foram avaliadas em US$ 1 milhão.

Os dois homens detidos foram identificados graças às imagens das câmeras de segurança da Estação Pinacoteca, já que os três ladrões agiram sem cobrir os rostos.

O roubo à Estação Pinacoteca foi o segundo deste tipo no Brasil em seis meses, depois que em dezembro de 2007 ladrões roubaram do Museu de Arte de São Paulo (Masp) as obras "Retrato de Suzanne Bloch" (1904), de Picasso, e "O lavrador de café" (1939), de Candido Portinari (1903-1962), recuperadas poucos dias depois. EFE cm/wr/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG