Polícia recebe dados de rastreador do carro de Iasi

A Polícia investiga se as ligações feitas por Carlos Eduardo Sundfeld Nunes, de 24 anos, na noite do assassinato do cartunista Glauco Vilas Boas, de 53 anos, e Raoni, de 25 anos, foram feitas do carro do estudante Felipe Iasi, de 23 anos, ou de algum outro ponto próximo à casa das vítimas.

Agência Estado |

Para isso, teve nesta segunda o resultado do rastreador do seguro do carro de Iasi - que levou Cadu até a chácara de Glauco - que vai cruzar com a origem das ligações feitas por Cadu a Polícia Militar(PM).

Segundo o diretor do Departamento de Polícia Judiciária da Macro São Paulo (Demacro), Marcos Carneiro Lima, as informações dadas por Iasi e Nunes são antagônicas. Lima considera estranho o estudante sair da cena do crime, seguir até a sua casa e deixar o carro em uma rua próxima a sua casa. "É estranho porque a polícia chegou ao carro na rua, mesmo ele tendo lugar para guardar na garagem. Isso indica que podem haver mais contradições", ressalta o diretor.

"Tivemos nesta tarde o resultado do rastreador do seguro do carro de Iasi. Quando recebermos outros resultados do percurso feito pelo estudante ao sair da chácara do cartunista, faremos o cruzamento das informações do carro com a localidade de onde Cadu realizou duas ligações para a PM."

    Leia tudo sobre: crime

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG