BRASÍLIA (Reuters) - A polícia está a procura de um cúmplice do assassino que decapitou e esquartejou a namorada britânica em Goiânia, no fim de semana passado, informou nesta sexta-feira a Polícia Civil de Goiás. O delegado Norton Luiz Ferreira, chefe do setor de imprensa da Polícia Civil, disse que um amigo ajudou Mohammed Carvalho Santos, de 20 anos, a se livrar do corpo de Cara Marie Burke, de 17 anos, no domingo.

'Ele diz que matou ela sozinho, mas que o amigo ajudou a transportar os membros, o corpo', disse o delegado.

Santos confessou à polícia que matou a jovem após ela ter ameaçado revelar que ele era traficante de drogas. O tronco de Burke, identificado pela família no Reino Unido através de fotografias, foi encontrado dentro de uma mala em Goiânia.

A polícia informou ainda que encontrou provas no apartamento de Mohammed Santos que o ligam ao assassinato.

'Não tem dúvida que ele é o autor do crime', disse à Reuters o delegado da divisão de homicídios, Carlos Raimundo Lucas Batista.

'Ele foi autuado, vai ser indiciado oficialmente, e pode pegar até a pena máxima', acrescentou.

Os policiais fizeram buscas em um barranco nos arredores de Goiânia nesta sexta-feira, local onde Santos disse ter colocado as outras partes do corpo de Burke.

Os dois jovens dividia apartamento há três meses, após terem se conhecido na Grã-Bretanha. Mas Santos diz que os dois discutiam e se afastaram porque ela tinha outro namorado, segundo a polícia.

(Reportagem de Raymond Colitt)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.