Polícia procura acusados de onda de estupros na Bahia

Segundo a polícia, ao menos 40 meninas podem ter sido vítimas da violência praticada por um grupo estimado de 20 homens

AE |

selo

A polícia da Bahia continua as investigações para prender cinco pessoas acusadas de participar de uma disputa para conseguir estuprar o maior número de adolescentes na região de Tanhaçu, a 480 quilômetros de Salvador. Entre os acusados, que têm entre 25 e 35 anos, três prestaram depoimento e dois tiveram a prisão preventiva decretada pela Comarca local, mas até o momento não foram localizados, sendo considerados, desde então, foragidos da Justiça.

A polícia acredita que pelo menos 40 meninas tenham sido vítimas da violência praticada por um grupo estimado de 20 homens. Levantamento da polícia mostra que subiu para oito o número de vítimas com menos de 14 anos. Desde que a denúncia da aposta surgiu, há uma semana, 13 jovens foram ouvidas pela delegada Ana Paula Ribeiro, responsável pelas investigações. Segundo ela, as apurações preliminares indicam que o número de garotas abusadas pode chegar a 42.

De acordo a polícia, as adolescentes, com idade inferior a 14 anos, são encaminhadas para o exame pericial após serem ouvidas e, uma vez constatado o abuso, as investigações prosseguem ainda que ela negue ou alegue ter consentido o ato. O mesmo não ocorre com as garotas de 14 a 17 anos, já que, nesses casos, o crime de estupro presumido é descaracterizado.

Provas

A polícia está tendo dificuldades para encontrar provas materiais contra os acusados porque as mães de algumas vítimas estão orientando suas filhas a negarem os abusos. Mesmo quando os exames detectam, as meninas, ainda sob orientação das mães, alegam terem iniciado a vida sexual com supostos namorados.

A polícia apurou também que outras adolescentes, a mando dos suspeitos de terem praticado os abusos, estão tentando persuadir as vítimas a negar o crime. De acordo com a delegada Ana Paula, as mães das vítimas poderão sofrer sanções por estarem dificultando o andamento das investigações. Elas seriam indiciadas por falso testemunho e desobediência.

    Leia tudo sobre: estuprobahiaviolência

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG