Polícia prende suspeitos em operação contra milícia mais forte do Rio de Janeiro

RIO DE JANEIRO ¿ Pelo menos 16 pessoas já foram presas na operação que a Polícia Civil desencadeou no início da manhã desta quinta-feira para desarticular a milícia considerada a mais forte do Estado do Rio de Janeiro. Entre os detidos estão dois policiais militares e os advogados Marcelo Bianchini Penna e Carlos Alberto Costa Oliveira.

Redação com agências |

No total, cerca de 200 policiais de dez delegacias buscam cumprir 33 mandados de prisão em mais de 40 endereços das zonas norte e oeste da capital fluminense. O segundo chefe do grupo armado, Marcos Silva da Rocha, conhecido como Bicudo, foi preso em sua casa com uma escopeta. Ele estava substituindo o primeiro chefe da milícia, o ex-PM Fabrício Fernandes Mirra, o Mirra, que já estava preso.

Todos trabalhariam para o miliciano conhecido como Mirra, com atuação na zona oeste e na zona norte do Rio de Janeiro", disse o delegado Rodrigo Oliveira, diretor do Departamento de Polícia Especializada (DPE).

De acordo com a polícia, o grupo armado tem como base o Morro do 18, em Piedade, e o conjunto habitacional Village Pavuna, em Anchieta. Os agentes encontraram no condomínio um paiol da milícia, onde foram apreendidos quatro revólveres, quatro pistolas, duas escopetas, uma submetralhadora, três rádios transmissores e munições para diversos calibres.

A polícia informou que o poder da milícia foi constatado quando as investigações mostraram que os integrantes do grupo haviam tomado 23 blocos do conjunto Village Pavuna e venderam cada apartamento por R$ 5 mil, somado a uma mensalidade por tempo indeterminado. O condomínio habitacional é de propriedade da Caixa Econômica Federal.

Participam da operação Leviatã 2 policiais das delegacias de Combate às Drogas (DCOD), de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (DRACO), de Repressão a Armas e Entorpecentes (DRAE), de Roubos e Furtos de Automóveis (DRFA), de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC), de Homicídios (DH) e de Homicídios da Zona Oeste (DH/OESTE). A ação conta ainda com o apoio de agentes da Polinter e da Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE).

Combate às milícias

O combate às milícias que atuam na cidade é considerado uma das prioridades do secretário estadual de Segurança Pública do Rio , José Mariano Beltrame.

Este mês a polícia conseguiu recapturar um dos líderes da principal milícia da cidade , conhecida como Liga da Justiça, com atuação na zona oeste do Rio. O ex-policial militar Ricardo Cruz, o Batman, tinha fugido do presídio de Bangu 8 no ano passado pela porta da frente.

No ano passado, a CPI das Milícias da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) incluiu vários policias entre os 225 denunciados por participação nesses grupos paramilitares.

*com informações das agências Reuters e Estado

Leia mais sobre: milícias

    Leia tudo sobre: milíciamilícias

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG