Polícia prende suspeitos de fraude milionária com cartões de crédito no Paraná

CURITIBA - Policiais do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) de Curitiba, no Paraná, prenderam, na última quarta-feira, dois homens suspeitos de aplicar golpes com cartões de crédito, usando informações conseguidas em um site russo. De acordo com o delegado Francisco Caricati, que comandou as investigações, o dinheiro ilícito conseguido pela dupla chegou a R$ 2 milhões nos últimos 30 dias.

Redação |

Divulgação
Dupla foi presa após uma semana de investigação
Conforme a polícia, Fábio Henrique Chemin da Silva, de 30 anos, e Edward Cristian Goulart, de 40 anos, compravam dados de usuários de cartões de crédito de vários países em um site em russo. Foram usadas pelos suspeitos informações de clientes da Europa e das Américas do Sul, Central e do Norte.

O golpe, segundo o delegado Caricati, foge completamente de tudo que era conhecido pela polícia até o momento. "É uma fraude muito sofisticada, que não necessita de muita parafernália. Apenas um bom computador e um cartão de crédito são suficientes, afirma.

Fraudes

As investigações mostraram que os suspeitos pagavam em média R$ 1 mil pelas informações fornecidas pelo site. As senhas e dados pessoais eram inseridos nos cartões da dupla, que então "emprestava" terminais das operadoras para simular compras.

Divulgação
Polícia apreendeu computador e terminais

"Para dar certo, o golpe contava com a colaboração de comerciantes, que cediam os terminais para as compras. Estamos colhendo provas para indiciá-los por vários crimes", explica Caricati, acrescentando que gerentes e diretores de loja devem estar envolvidos no crime.

Segundo a polícia, o comerciante recebia da operadora o valor do bem comprado e repassava 50% para os suspeitos.

Investigação

A dupla foi presa no apartamento que usava para fazer contatos com as operadoras dos cartões, no bairro Batel, na capital paranaense. No imóvel, foram apreendidos três terminais, material para inserir informações em cartões e um computador com várias informações recebidas de clientes estrangeiros. Os dois foram autuados em flagrante por estelionato.

De acordo com o delegado Caricati, caso fique comprovada o envolvimento direto dos comerciantes com a dupla, todos vão responder também por formação de quadrilha, uso de documentação falsa e lavagem de dinheiro.

Nós nos deparamos com uma forma diferente de ação dos golpistas. Agora, a partir das prisões, o trabalho policial vai se fixar na forma de ação e colher provas que levem a prisão de outros envolvidos, acrescenta Caricati.

*Com informações da Agência Estado

Leia mais sobre golpes

    Leia tudo sobre: golpes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG