O suspeito de atacar um casal em uma trilha do Morro do Boi, no litoral do Paraná, foi preso hoje no Balneário Santa Terezinha. No ataque, ele acabou matando a tiros o estudante de direito Osíris Del Corso.

A namorada dele foi violentada e baleada. Ela está internada e corre o risco de ficar paraplégica. O pai da jovem, Lourival Pegorare da Silva, disse que a vítima viu a fotografia do suspeito. "Reconheceu na hora", afirmou.

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública (SSP) do Paraná informou que a prisão foi feita após a polícia conseguir uma ordem judicial. No entanto, a identidade do suspeito não foi revelada e permanecerá em sigilo até que as provas confirmem a autoria do crime. A polícia evitou fazer qualquer comentário sobre a prisão. O suspeito foi levado para a delegacia de Matinhos, no litoral paranaense.

O suspeito foi preso em um quarto alugado e tem aparência semelhante à do retrato falado divulgado pela polícia: cerca de 1,85 metro de altura, aproximadamente 100 quilos e calvo. Segundo o pai da jovem, o trabalho da polícia foi muito minucioso no reconhecimento do suspeito para que não fosse cometido nenhum engano. "Já faz tempo que (a polícia) vem trazendo várias fotos de pessoas muito semelhantes e ela não reconheceu em função de algumas diferenças, de pequenos detalhes", disse. "Mas quando apresentou a foto desse cidadão ela chegou a se emocionar, reconheceu na hora."

Em relato aos bombeiros, a jovem disse que, no dia 31 de janeiro, o casal foi abordado por um homem quando percorria uma trilha em direção à Praia dos Amores. Na tentativa de defendê-la de um estupro, Del Corso, de 22 anos, recebeu um tiro no peito e morreu. A namorada, de 23 anos, foi atingida por um tiro nas costas. O agressor desapareceu, mas, horas depois, retornou para violentá-la. O casal somente foi encontrado na tarde do dia seguinte.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.