Polícia prende segundo acusado de participar de chacina no Paraná

SÃO PAULO - Policiais da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc) prenderam nesta terça-feira mais um homem acusado de participar do assassinato de 15 pessoas em uma chachina no Paraná, que aconteceu em 22 de setembro em Guaíra, no oeste do Estado. Ademar Fernando Luiz, de 27 anos, foi preso no início da manhã, em Lucas do Rio Verde (MT), quando saía da casa de seu amigo, onde estava hospedado desde o dia 8 de outubro.

Redação |

Logo após a prisão, Ademar foi interrogado pelos policiais e confessou parcialmente o crime, dizendo que era apenas o segurança dos executores da chacina.

De acordo com os policiais, Ademar Fernando Luiz estava sendo monitorado desde quinta-feira, 16. Ademar foi surpreendido e não reagiu, disse o investigador do caso, José Edson Neres. Assim que foi detido, Ademar foi interrogado em Lucas do Rio Verde, depois seguiu para Cuiabá, e então para Cascavel, onde chegou na noite de ontem.

Ademar estava na cidade desde o dia 8 de outubro. Segundo o suspeito, após a chacina, ele, Jair e um terceiro indivíduo que participou do crime e que ele afirma desconhecer o nome, foram até o Paraguai de barco e ficaram escondidos nas margens do Rio Paraná por seis dias. Depois, foram com o mesmo barco até a cidade de Itaquiraí, no Mato Grosso do Sul, onde ficaram até o dia 07, quando se separaram. 

Jair afirmou que seguiria para São Paulo, Ademar pegou um ônibus rumo a Lucas do Rio Verde e o destino do terceiro indivíduo não será divulgado pela polícia para não atrapalhar as investigações. Ainda segundo Ademar, a chacina teria sido planejada por Jair três dias antes, inclusive com a preparação do barco utilizado na fuga.

Confissão do crime

Em interrogatório, Ademar confessou que teve participação na chacina, mas apenas como segurança de Jair e do terceiro indivíduo. Os dois, segundo ele, eram os que disparavam contra as vítimas. As armas utilizadas no crime, de acordo com Ademar, foram perdidas na fuga e a motivação da chacina foi confirmada como sendo a morte de um enteado de Jair.

Segundo a polícia, Ademar já tem passagem pela polícia. Ele ficou preso na Penitenciária de Maringá por 4 anos por tentativa de latrocínio e foi solto em abril deste ano. Por enquanto, o segundo suspeito preso está detido na Denarc de Cascavel e deve ser indiciado por homicídio.

O caso

De acordo com depoimentos de sobreviventes, o crime foi cometido por homens encapuzados que invadiram a favela de Vila Santa Clara, próxima ao lago de Itaipu. Eles estavam à procura de Jocemar Marques Soares, conhecido por Polaco, que já cumpriu pena por tráfico de drogas e que estaria devendo R$ 4 mil para o bando, além de ter ordenado a execução de um traficante rival.

Polaco e dois filhos adolescentes foram assassinados no local. Cinco vítimas foram atraídas para o sítio e, à medida que chegavam ao galpão, eram rendidas e executadas.

Leia mais sobre: chacina

    Leia tudo sobre: chacina

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG