CURITIBA - Uma suposta quadrilha de estelionatários, com ramificações na Europa e outros países da América Latina, foi desmantelada, nesta quinta-feira, por policiais da Delegacia de Estelionato e Desvio de Cargas de Curitiba (DEDC). De acordo com a polícia, os supostos golpistas ofereciam empréstimos a grandes empresários, em nome de instituições financeiras internacionais fictícias, com taxas de juros bem abaixo das praticadas no Brasil e com longo prazo para pagamento.

Segundo a polícia, o golpe se concretizava depois que os empresários eram levados a depositar altas quantias em dinheiro, como se estivessem contratando um seguro que garantiria a liberação do empréstimo.

Estima-se que os golpes tenham proporcionado pelo menos R$ 10 milhões à quadrilha. As investigações contaram com o apoio do Ministério Público Estadual.

Prisões

A ação foi feita pelos policiais paranaenses simultaneamente em Curitiba (PR), Balneário Camboriú (SC), Brasília (DF), Matinhos (PR), Apuracana (PR) e Foz do Iguaçu (PR). Quatorze pessoas foram presas, por mandados de prisão temporária, expedidos pelo juiz da Vara de Inquéritos Policiais de Curitiba, Pedro Sanson Corat.

Mais 17 mandados de busca e apreensão foram cumpridos. A polícia apreendeu quatro veículos importados, entre eles uma BMW, um Peugeot, uma Frontier, um Audi e um Mercedes-Benz, 18 títulos do Banco Central da Venezuela, avaliados em R$ 25 milhões cada um, dois títulos falsificados da Petrobrás, cartões de crédito, talões de cheques, vários computadores e notebooks.

Entre os presos está o suspeito de ser chefe da quadrilha, Junior Euclides Avelar dos Santos, 35, e seu braço-direito, Sérgio Luiz da Silva Guimarães, 43, além do suposto analista financeiro João Djalma Prestes Junior, e dos argentinos Oswaldo Ponche German e Miguel Kulberg, que se faziam passar por espanhóis, na Europa, para enganar os empresários.

De acordo com a polícia, nos últimos dias eles montaram site fictício de uma agência financeira internacional denominada Hificisar, com o endereço eletrônico www.hificisar.com .  

A polícia diz ter a confirmação de, pelo menos, quatro golpes aplicados pela quadrilha a empresários. Uma das vítimas é de Curitiba, outra de São Paulo e duas do Mato Grosso.

O golpe

Segundo a polícia, no golpe, os quadrilheiros se intitulavam pertencentes a uma instituição financeira internacional e que estariam interessados em investir no Brasil buscando parceiros. Eles entrão ofereceriam a captação de recursos, com taxas de juros bem abaixo dos praticados no Brasil.

Para que o empréstimo seja firmado, os golpistas diziam que era necessário o empresário fornecer bens como garantia, tais como terrenos, casas, apartamentos e carros, segundo a polícia.

O empresário depositava em contas de integrantes da quadrilha ou em nome das empresas de fachadas, tais como Place Administradora e Incorporadora Ltda., Frigocenter Comércio de Gêneros Alimentícios Ltda. e Suporte - Apoio em Licitações e Projetos Empresariais Ltda. Posteriormente, desapareciam com o dinheiro do seguro.

Algumas vítimas, em protesto pelos os golpes que sofreram, montaram páginas na internet contra os estelionatários ( http://maiorvigaristabrasileirojoaoprestesjr.blogs.sapo.pt   e http://www.estelionatariojoaoprestesjr.blogspot.com ). Nestes blogs os autores listam algumas empresas fictícias montadas pela quadrilha.

Leia mais sobre: Paraná

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.