Polícia prende homem que ensinou filho e sobrinha a assaltar em Santa Catarina

FLORIANÓPOLIS ¿ Policiais civis da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic) prenderam na manhã desta terça-feira um suspeito de ser o mentor do sequestro de uma mãe e seu filho ocorrido no início deste mês no município de Penha, litoral do Estado de Santa Catarina. Rafael de Borba, de 28 anos, que foi preso em uma pensão em Itajaí com outras duas pessoas que serão investigadas, ficou conhecido nacionalmente em um vídeo ensinando um filho e uma sobrinha a assaltar.

Redação |

A polícia informou que o suspeito estava portando um documento de identificação falso e que ainda tentou fugir pela janela. Os agentes da Deic agora estão a procura de Adriano da Silva Fialho, que coordenou o sequestro junto com Rafael.

Dois paulistas que tiveram participação no crime também estão sendo procurados com o auxílio da Polícia Civil do Estado de São Paulo. Três mulheres que integravam a quadrilha já estão presas.

Vídeo polêmico

Rafael Borba ficou conhecido nacionalmente após a polícia ter encontrado na noite da última quarta-feira um vídeo onde ele aparece ensinando duas crianças como assaltar e assassinar , tendo uma boneca como vítima. 

Nas imagens, o acusado mostra para o filho, de quatro anos, e a sobrinha, com menos de três anos, como se manuseia uma arma de brinquedo. Ele também ensina as crianças a ameaçar e agredir a boneca em troca de dinheiro.

Em um dos trechos do vídeo, ele aparece ordenando a sobrinha a dar coronhadas com o cabo da arma na cabeça da boneca.

O sequestro

A professora Benta Pivatto, de 43 anos, e seu filho de 3 anos foram sequestrados no dia primeiro de junho em um hotel na cidade de Penha, litoral norte catarinense. A família mora na cidade vizinha de Navegantes e viajou para Penha para ajudar na organização da tradicional Festa do Divino.

Viviane Stem, de 29 anos, esposa de Rafael Borba e camareira do hotel, ouviu enquanto limpava o quarto que o gerente de um grande estaleiro era parente de Benta, chamando sua atenção. Pensando que a família fosse rica, ela movimentou a quadrilha para que fosse realizado o sequestro.

Segundo a polícia, Benta informou que os criminosos queriam levar somente o filho de 3 anos, mas ela pediu para ir junto para que a criança não ficasse só. Os dois foram levados para um cativeiro em São Paulo, onde ficaram durante 32 horas.

A mãe e o filho foram libertados na noite da última terça-feira na Marginal Tietê depois do pagamento do resgate no valor de R$ 57 mil. Os sequestrados haviam pedido um resgate de R$ 220 mil. O valor pago aos criminosos ainda não foi encontrado.

Leia mais sobre: sequestro

    Leia tudo sobre: sequestrosequestrosseqüestro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG