Dois suspeitos de matar menina no Paraná fizeram teste de DNA http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2008/11/10/corpo_de_crianca_e_encontrado_em_matagal_de_castro_pr_2106489.html target=_topCorpo de criança é encontrado em matagal no Paraná" / Dois suspeitos de matar menina no Paraná fizeram teste de DNA http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2008/11/10/corpo_de_crianca_e_encontrado_em_matagal_de_castro_pr_2106489.html target=_topCorpo de criança é encontrado em matagal no Paraná" /

Polícia prende homem acusado de matar menina de três anos no Paraná

CURITIBA ¿ Um homem foi preso nesta segunda-feira em Querência do Norte, noroeste do Paraná, acusado de matar uma menina de três anos de idade, filha de sua ex-namorada. Segundo a polícia, ele confessou o crime, motivado por vingança, já que a mulher não aceitava que o namoro fosse reatado. http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2008/11/11/dois_suspeitos_de_matar_menina_no_parana_fizeram_teste_de_dna_2107517.html target=_topDois suspeitos de matar menina no Paraná fizeram teste de DNA http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2008/11/10/corpo_de_crianca_e_encontrado_em_matagal_de_castro_pr_2106489.html target=_topCorpo de criança é encontrado em matagal no Paraná

Redação |

Acordo Ortográfico

Manoel Aparecido Tenório de Miranda, de 20 anos, foi preso em casa, onde foram encontradas roupas recém-lavadas, porém com resíduos de sangue. Segundo o delegado da polícia de Paranavaí, Marcolino Costa, a menina Pamela Santos havia sido colocada no berço para dormir. A mãe conta que pela manhã, a menina não estava no berço e a janela do quarto dela estava aberta, disse.

Edileuza José Pedra, de 20 anos, mãe de Pamela, procurou a polícia, que fez uma varredura em locais próximos da casa. Foram encontradas, em um matagal, roupas da menina e um pouco mais adiante, o corpo da criança, com ferimento no peito e suspeitas de abuso sexual. A mãe nos contou que a última pessoa a sair da casa na noite de domingo foi Manoel. Ele teria ido procurá-la mais uma vez para insistir num namoro que ela nega insistentemente.

A partir daí, os policiais seguiram para a casa do suspeito, que confessou o assassinato. Ele foi levado para a delegacia e confessou que matou a criança porque a Edileuza o rejeitava. Como estava drogado não se lembra com detalhes do que fez, relatou o delegado.

Enquanto prestava esclarecimentos, 200 pessoas que souberam do caso se aglomeraram em frente à porta do distrito policial com intenção de linchar o acusado. Com medo de uma invasão, Marcolino Costa optou por transferir Miranda para Paranavaí. Por segurança, ele ainda deve ser encaminhado para Curitiba. Existe a possibilidade de o preso ter envolvimento com o tráfico de drogas do local.

Manoel Miranda foi autuado em flagrante por homicídio e caso os exames confirmem o abuso sexual, ele vai responder também por estupro. A pena do acusado pode chegar há 30 anos de prisão.

Veja também

Leia mais sobre: violência

    Leia tudo sobre: drogasestupromorteparanávingançaviolência

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG