Polícia patrulha região onde micro-ônibus foi incendiado no Rio

Cerca de 80 policiais patrulham a região da Cidade de Deus onde um micro-ônibus foi incendiado no fim da noite de desta terça-feira. Pelo menos 13 pessoas ficaram feridas. Seis delas estão em estado grave. Segundo a assessoria da Polícia Militar, o ataque ocorreu por volta das 22 horas para vingar a prisão de um traficante da comunidade da Cidade de Deus, detido com dezenas de papelotes de cocaína por policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP).

iG São Paulo |

Testemunhas informaram à polícia que aparentemente um grupo de quatro pessoas, entre elas uma mulher grávida, fez sinal para o micro-ônibus da linha 701, que carregava cerca de 20 passageiros, na Taquara, zona oeste. Quando o veículo parou, o bando começou a jogar pedras e combustível para dentro do coletivo e ateou fogo, fugindo logo depois. Os feridos foram levados aos hospitais Lourenço Jorge, na Barra, Souza Aguiar, no centro, e à unidade do Andaraí.

Uma das passageiras, para escapar das chamas, pulou do ônibus pela janela e teve fratura no maxilar. Pelo meno três das vítimas oram identificadas, são elas: Anne Andrade Lima, 18 anos; Gabriel Lima de Andrade, 20; e Laís de Melo Rodrigues, 21.

A UPP foi inaugurada na Cidade de Deus em fevereiro do ano passado e tem cerca de 220 policiais militares atuando na região, que é uma das oito comunidades com polícia pacificadora. Apesar da visível melhora na segurança, testemunhada pelos próprios moradores, o tráfico de drogas vem resistindo à presença do policiamento comunitário e já ocorreram alguns confrontos entre supostos traficantes e policias da UPP nos últimos meses.

*com informações da Agência Estado e Agência Brasil

Leia mmais sobre: ônibus

    Leia tudo sobre: ônibus

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG