Polícia ouve testemunhas do ataque ocorrido em frente à quadra do Salgueiro

RIO DE JANEIRO ¿ Policiais da 20ª DP (Vila Isabel) já começaram a ouvir algumas testemunhas do ataque criminoso ocorrido na noite desta quinta-feira em frente à quadra da escola de samba Acadêmicos do Salgueiro, na Tijuca, zona norte do Rio, que deixou três mortos e três feridos. Entre as pessoas que já prestaram depoimento está o cabo do Batalhão de Choque da PM, André Luiz Bittencourt de Souza, que ficou ferido na perna durante o ataque.

Redação |

Acordo Ortográfico

A polícia não divulgou o conteúdo dos depoimentos para não atrapalhar as investigações, mas não descarta a hipótese de execução e acredita que o crime tenha ligação com a máfia dos caça-níqueis. Ainda não há pistas dos suspeitos, que conseguiram fugir após o ataque.

De acordo com testemunhas, o crime aconteceu por volta das 20h30, quando quatro homens armados com fuzis a bordo de um Meriva passaram atirando contra um grupo que saída da quadra do Salgueiro. O policial militar reformado Gustavo Pires Lucas e o estudante Carlos Alberto de Oliveira Júnior morreram na hora.

O PM reformado trabalhava como segurança na quadra do Salgueiro e o estudante já havia exercido a mesma função na agremiação há quatro anos e teria ido ao local encontrar amigos que iriam jogar futebol com ele. O ataque ainda deixou morto o soldado do 17º BPM (Ilha do Governador) Felipe Gomes Figueiredo. Ele foi levado para o Hospital Central da PM, mas não resistiu aos ferimentos.

Entre os feridos no ocorrido estão o cabo do Batalhão de Choque da PM André Luiz Bittencourt de Souza e o irmão da atual presidente do Salgueiro, Pedro Paulo dos Santos Fernandes. Os dois foram levados para o Hospital do Andaraí.

André Luiz foi atingido na perna, medicado e liberado no início da manhã desta sexta-feira. Pedro Paulo, de 22 anos, possui mais de dez perfurações em seu corpo e seu quadro é tido pelos médicos como gravíssimo, mas estável. Ele está em uma unidade intermediária entre o centro cirúrgico e a UTI e respira por aparelhos. Segundo a equipe médica, o paciente vem respondendo bem à medicação.

O ataque criminoso também deixou ferido o bombeiro Renato de Azevedo Buccos. De acordo com o Corpo de Bombeiros, a vítima foi levada para o Hospital Central Aristarcho Pessoa, no Rio Comprido, zona norte do Rio. Ainda não há informações sobre o seu estado de saúde.


Leia mais sobre: violência no Rio


    Leia tudo sobre: escolas de sambamorteriorio de janeirosalgueiroviolência

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG