Menina de 2 anos morreu durante aula de natação em uma piscina da Escola Dromus, em Brasília, nesta terça-feira

Políciais da 1ª Delegacia de Polícia Civil do Distrito Federal interrogaram nesta quarta-feira mais sete pessoas no inquérito que investiga as causas e responsabilidades na morte da menina Daniela Camargo Casali, de 2 anos, durante a aula de natação em uma piscina da Escola Dromus, em Brasília, nesta terça-feira.

Segundo informações da polícia, a menina teria deixado a piscina infantil e caminhado até a piscina mais funda sem que funcionários e professores notassem. Daniela foi socorrida e levada para um hospital particular em Brasília, mas, segundo os médicos, já chegou sem vida.

Nesta terça-feira, quatro funcionários já haviam sido ouvidos. De acordo com funcionários, a menina teria passado pelo vão da cerca que fica ao redor da piscina das crianças. A polícia ainda aguarda resultados da perícia, incluindo a informação sobre a possibilidade da menina em passar pelo vão da cerca, para a sequência do inquérito. Peritos da polícia estiveram no Colégio Dromos para analisar o local do afogamento. Verificaram as grades que separam as duas piscinas e avaliaram a profundidade de cada uma.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.