Polícia Militar detém três manifestantes da USP

A Polícia Militar (PM) informou no começo da noite que três manifestantes envolvidos no confronto entre a Tropa de Choque e estudantes, professores e funcionários da Universidade de São Paulo (USP) foram levados ao 93º Distrito Policial de São Paulo, no bairro do Jaguaré. Por volta das 20 horas os detidos prestavam depoimento.

Agência Estado |

Eles deverão responder por dano a patrimônio público, desacato a autoridade e resistência à prisão. O objetivo da manifestação de hoje na USP era exatamente pedir a saída dos policiais militares do campus da universidade.

De acordo com a diretoria do Sindicato dos Trabalhadores da USP (Sintusp), dois dos manifestantes são funcionários da universidade e um deles é estudante. A entidade também informou que um dos funcionários detidos é o dirigente da Sintusp Claudionor Brandão, funcionário demitido em maio pela reitoria da universidade. A detenção de Brandão foi confirmada pela PM.

O estudante, segundo o sindicato, foi ferido por estilhaços de uma das bombas de efeito moral atiradas pela Polícia Militar contra os manifestantes durante o confronto. Desde o final de maio o Sintusp reivindica reajuste salarial de 16% para os professores e servidores da USP, da Universidade Estadual Paulista (Unesp) e da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Os estudantes são contra as mudanças implementadas nos vestibulares das universidades estaduais e também protestam contra o curso a distância criado este ano com foco na formação de professores da rede pública.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG