Cinco mulheres foram libertadas de um cárcere privado por agentes da Delegacia Antipirataria do Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic), na região do Ipiranga, na zona sul de São Paulo.

Segundo o Deic, a polícia estourou uma confecção onde cinco mulheres viviam em condições análogas a de escravas. Elas moram e trabalham no mesmo local, em condições preocupantes de higiene.

A oficina produzia roupas falsificadas de uma grife famosa. O proprietário, de nacionalidade chinesa, portava um revólver calibre 38.

Leia mais sobre: trabalho escravo

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.