A polícia do Pará prendeu um homem que teria admitido participação na invasão, quebra-quebra e incêndio do Fórum e da delegacia policial de Viseu, na região nordeste do Estado, anteontem. O homem, cuja identidade não foi divulgada, foi preso com três aparelhos de vídeo que estavam sob guarda da Justiça no Fórum.

Outras sete pessoas detidas ontem foram liberadas por falta de provas. Cerca de 80 policiais militares e civis estão na cidade para manter a ordem.

Segundo a polícia, o homem detido disse que a destruição dos prédios públicos foi uma resposta à morte de um jovem, de 16 anos, pelo policial conhecido como cabo Dos Santos. O preso disse conhecer os outros envolvidos no vandalismo e teria indicado os locais onde residem.

Quatro PMs envolvidos na morte do adolescente foram afastados de suas funções e cumprem expediente interno no quartel de Bragança, município vizinho. Em Belém, o juiz titular da comarca de Viseu, César Augusto Rodrigues, disse que todos os processos criminais e cíveis foram queimados pelos invasores. Os processos eleitorais ainda tinham cópias no Tribunal Regional Eleitoral, em Belém.

Em nota, a presidente do Tribunal de Justiça do Pará, desembargadora Albanira Bemerguy, condenou o atentado, afirmando que a depredação de prédios públicos e destruição "estão na contramão do esforço que autoridades e entidades responsáveis vêm desenvolvendo em favor da paz e da harmonia sociais". As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.