Polícia já tem os retratos falados dos homens que tiraram Batman de Bangu 8

RIO DE JANEIRO ¿ A polícia já possui os retratos falados dos homens que ajudaram o ex-policial militar Ricardo Batman a fugir do presídio Bangu 8 na semana passada. Segundo a 34ª DP (Bangu), que investiga o caso, a princípio, os retratos não serão divulgados para a imprensa por ordem da chefia da Polícia Civil.

Redação |

Acordo Ortográfico

Os retratos falados foram feitos com os depoimentos de agentes penitenciários que estavam de plantão no dia da fuga de Batman. De acordo com a polícia, até o momento, cerca de 25 pessoas diretamente envolvidas com o caso foram interrogadas. Entre os que já foram ouvidos estão diretores do Complexo Penitenciário de Gericinó e o dono do carro que foi clonado para a fuga de Batman.

Câmeras desligadas

Na última sexta-feira, durante uma audiência na Assembléia Legislativa do Rio (Alerj), o secretário de Administração Penitenciária, César Rubens Monteiro de Carvalho, afirmou que as câmeras do presídio Bangu 8 estavam desligadas no momento da fuga de Batman. Segundo Carvalho, as câmeras da unidade foram desligadas no dia 22 de outubro e só voltaram a funcionar no dia 28.

Iremos apurar essa fraude porque temos uma empresa de manutenção das câmeras e ela não foi acionada, revelou o secretário durante a sessão.

Carvalho lembrou que apesar de as câmeras do sistema do complexo estarem desligadas, o circuito do presídio feminino, que fica próximo, registrou toda a ação.

"Mesmo com as câmaras de Bangu 8 desligadas, vi as imagens da fuga através das câmeras do circuito externo de um presídio próximo. O Batman anda com o carro, passa pelos portões da guarita, conversa e sai sem menor medo de que alguém possa aparecer ou algo acontecer", disse.

Fuga

Ricardo Batman fugiu do presídio de segurança máxima Bangu 8, na zona oeste do Rio, no dia 27 de outubro, às 7h30. A fuga só foi notada na manhã do dia 28 de outubro, 24 horas depois, durante a contagem dos presos.

Segundo a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), Batman saiu pela porta da frente do presídio escoltado por dois homens com uniformes do Grupo de Intervenções Táticas (GIT). O detento deixou Bangu 8 em um Palio branco e seria levado a um oftamologista no Hospital Central Penitenciário, também no Complexo de Gericinó.

A possibilidade de haver um plano de fuga já havia sido informada em, pelo menos, cinco relatórios de inteligência da Polícia Civil e do Serviço Reservado da Polícia Militar. De acordo com denúncias, a fuga teria custado cerca de R$ 2 milhões, que foram rateados entre os integrantes da milícia "Liga da Justiça", que Batman faz parte.

O ex-PM é tido como o principal matador do grupo armado, chefiado pelo vereador Jerônimo Guimarães, o Jerominho, e seu irmão, o deputado estadual Natalino Guimarães. Os dois também estão presos em Bangu 8.

Batman foi preso em agosto com outros comparsas, em Araruama, na Região dos Lagos do Rio, sob a acusação de ter praticado um atentado contra o sargento da PM Francisco César Silva Oliveira. O foragido responde a processos na Justiça por homicídio e formação de quadrilha.

Veja também:

  • Responsáveis por fuga em Bangu 8 responderão criminalmente
  • Polícia recebeu informações sobre localização de Batman
  • Secretário admite que câmeras estavam desligadas na fuga de Batman
  • Diretor de Bangu 8 é exonerado depois de fuga de ex-policial militar

    Leia mais sobre: Bangu 8

    • Leia tudo sobre: bangu 8fugafuga de cadeiamilíciamilíciaspenitenciáriapresídiosricardo batmanrio

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG