Polícia isenta órgão da Prefeitura no caso da Renascer

A Polícia Civil isentou o Departamento de Controle do Uso de Imóveis (Contru), ligado à Prefeitura de São Paulo, de responsabilidade no desabamento do teto da sede internacional da Igreja Renascer em Cristo, no Cambuci, no centro de São Paulo. Diretores do órgão entregaram à polícia documentos para comprovar a última vistoria efetuada no imóvel, em julho de 2007.

Redação com Agência Estado |

"Pelo que eu ouvi, o Contru fez o que a lei manda", afirmou o delegado Dejar Gomes Neto, da 1ª Seccional, segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP).

O alvará de funcionamento da igreja era válido até julho deste ano. De acordo com a SSP, técnicos do Contru que estiveram no templo na noite de domingo, dia do desastre, constataram mudanças na cobertura em relação ao verificado na inspeção de 2007, como os equipamentos de som e ar-condicionado presos à madeira de sustentação do telhado.

Além de dois diretores do Contru, a polícia ouviu mais dez vítimas e testemunhas do desastre. O delegado acredita que apenas o laudo do Instituto de Criminalística poderá apontar as causas do acidente, que matou 9 mulheres e feriu 102 pessoas.

Igreja será demolida em São Paulo; veja o vídeo

Leia também

Leia mais sobre: desabamento - Renascer

    Leia tudo sobre: desabamentoigreja renascer

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG