Polícia investiga se filha mais velha também teve filho do pai

Lavrador está preso no interior do Maranhão acusado de estuprar as filhas e manter a mais nova em cárcere privado

iG São Paulo |

A Polícia Civil do Maranhão investiga se o lavrador José Agostinho Bispo Pereira, de 54 anos, é pai também de um filho de sua filha mais velha, Maria Sandra Monteiro, de 31 anos. Ele está preso desde terça-feira , em um povoado de Pinheiro, , distante 340 quilômetros de São Luís, sob suspeita de estuprar e manter em cárcere privado durante 16 anos a filha mais nova, Sandra Maria Monteiro, de 29 anos, e seus sete filhos – três dos quais o acusado admite ser pai-avô.

AE
Lavrador preso sob suspeita de abusar e engravidar filha sete vezes
Em depoimento à delegada Laura Amélia Barbosa, responsável pelo caso, Maria Sandra, a filha mais velha, relatou que engravidou do pai aos 12 anos, e que, ao comunicá-lo, foi ameaçada.

Por isso, relatou, decidiu forjar um namoro com um amigo, identificado como Dorival, com quem fugiu para o povoado Refúgio, também no município de Pinheiro. Depois de um mês, porém, o companheiro morreu e ela teve que voltar para a casa do pai, onde deu à luz o filho.

Tempos depois, segundo o relato, Maria Sandra deixou a casa, supostamente para fugir dos maus tratos do pai, mas foi localizada pelo lavrador. Ele, então, tomou a criança, com quem vivia até esta semana. Ainda de acordo com o relato, Maria Sandra hoje é casada e tem cinco filhos com seu atual marido.
Ainda nesta sexta-feira, o jovem, de 14 anos, prestou depoimento à delegada e disse não saber quem é seu pai. Afirmou ainda não acreditar na paternidade do avô.

A delegada e os peritos criminais acompanharam exames feitos pela família monteiro, no Hospital Antenor Abreu, localizado na regional de Pinheiro, para analisar o DNA de cada um. Nenhuma das crianças é registrada. 

Acompanhamento

Sandra Maria Monteiro, que supostamente passou 16 anos sendo abusada e mantida em cárcere privado, está recendo ajuda técnica e psicológica da Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão para poder retomar a vida.

No entanto, os conselheiros tutelares de Pinheiro ainda não conseguiram encontrar uma casa nova para Sandra. E ela ainda está psicologicamente abalada para viver sozinha com os sete filhos. 

A presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pedofilia, deputada Eliziane Gama (PPS), afirmou que as condições onde ela vive no Conselho Tutelar de Pinheiro não são as ideais para uma pessoa que saiu de um cárcere privado de 16 anos. A própria Sandra disse que não se incomoda em ficar no conselho, mas sua vontade é voltar para o povoado de Experimento, onde ela morava antes. "O problema é que a casa onde ela vivia não apresenta condições nenhuma de moradia", afirmou o conselheiro Ernesto Santos.

Nesta sexta-feira, os conselheiros tutelares procuraram uma casa para alugar em Pinheiro, mas não conseguiram. A residência será alugada com recursos da prefeitura. O município também se comprometeu a ceder cestas básicas para Sandra. Dos sete filhos de Sandra, apenas um, de 12 anos, era matriculado em escola. Graças a ele, a família garantia R$ 62 por mês do Bolsa Família.

    Leia tudo sobre: cárcere privadoestupromaranhão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG