Polícia investiga queda de recém-nascida pela janela em São Paulo

A Polícia Civil de São Paulo investiga a queda de uma menina de apenas 25 dias da janela da casa onde mora com os pais e o irmão de 3 anos, no bairro dos Prados, na zona sul da capital paulista. O caso aconteceu por volta das 13h30 de domingo.

Lecticia Maggi, iG São Paulo |

A criança caiu de uma altura de 10 metros e está internada, em estado gravíssimo, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Geral de Pedreira.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP), os pais do bebê, uma dona de casa de 36 anos e um aposentado de 67, contaram aos policiais que o filho atirou a irmã pela janela possivelmente motivado por ciúmes.

A mãe relatou que dormia com as crianças na mesma cama quando foi acordada pelo filho mais velho, que lhe disse que havia jogado a irmã. Ao olhar pela janela do quarto, viu a filha caída no chão da casa do vizinho. 

Segundo ela, o vizinho ajudou a socorrer a menina, que foi imediatamente levada ao pronto-socorro. O pai do bebê disse que estava fazendo compras no momento do incidente e só soube do ocorrido ao chegar em casa. Ele afirmou ainda que o filho costuma jogar brinquedos pela janela.

Investigação

A polícia trabalha com a hipótese do menino ter atirado a irmã pela janela, mas também avalia outras possibilidades. Procurado, o delegado assistente do 99º DP, Élio Queiroz, afirmou ao Portal iG que o parapeito da janela de onde a criança caiu tem um metro de altura e o irmão dela, apesar de ter 3 anos, é bem pequeno. "Ele teria que ter subido em banco com a irmã de 3 kg nos braços e ainda se esticado para jogá-la. Não é algo impossível, mas é difícil, afirmou.

Conforme a polícia, a dona de casa, que não teve o nome revelado, admitiu que é usaria de drogas há 12 anos, mas garantiu que no domingo não havia consumido nada. Ela não parecia estar sob efeito de drogas, mas estava calma demais para alguém que teve a filha atirada pela janela. A frieza com que ela assimilou o fato nos causou estranheza, afirmou Queiroz. 

Por outro lado, o delegado disse que o vizinho confirmou que, frequentemente, recolhe objetos jogados pela criança de 3 anos, como bolas e bonecos.

A perícia já foi realizada na casa do casal e a polícia agora ouve outros vizinhos e testemunhas do fato. Ainda não descartamos nenhuma hipótese, disse Queiroz.

Leia mais sobre: queda

    Leia tudo sobre: queda

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG