Polícia investiga morte de menina atropelada por jet ski no interior de São Paulo

A Polícia Civil de Paulínia investiga a morte de uma garota de 13 anos, moradora de Sumaré, atropelada por um jet ski neste domingo, na lagoa localizada atrás do Parque Brasil, em Paulínia, interior de São Paulo. O principal suspeito é um microempresário de 31 anos, que pilotava o jet ski.

Redação com Agência Estado |

De acordo com a Secretaria de Estado da Segurança Pública de São Paulo, testemunhas informaram à polícia que o piloto atropelou outros banhistas. Guardas municipais foram chamados e socorreram ao pronto-socorro municipal um carpinteiro, de 53 anos, e a adolescente, que não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital. Segundo o Corpo de Bombeiros, o motorista não prestou socorro.

Agência Estado
Vista da Lagoa Santa Teresinha, no bairro Parque Brasil 500, em Paulínia, interior de São Paulo, uma adolescente morreu na tarde de ontem atropelada por um jet ski. A jovem estava na lagoa quando foi atingida pelo veículo. Segundo o Corpo de Bombeiros, no local não é permitida a prática de esportes. A vítima, de 13 anos, foi socorrida pelos bombeiros e levada para o Hospital Municipal com parada cardiorrespiratória. Ela foi atingida na cabeça pelo jet ski e não resistiu aos ferimentos. O piloto fugiu do local, segundo informaram os bombeiros
Vista da Lagoa Santa Teresinha, no bairro Parque Brasil 500, em Paulínia, interior de São Paulo, onde uma adolescente morreu atropelada por um jet ski.

O Corpo de Bombeiros informou ainda que não é permitida a prática de esportes no local. Sobre isso, o delegado Correia disse que ainda vai consultar a legislação, mas disse que "tudo indica que seja proibido".

O delegado responsável pelo caso, Luiz Antonio Correia da Silva, disse que a lagoa é usada por pessoas de fora de Paulínia para se banhar, tanto que todos os envolvidos são de outras cidades. Segundo o delegado, o piloto do jet ski, Airton Santos de Souza, de 31 anos, é de Campinas; a menina que morreu e outra pessoa que foi atropelada, Jurandir Pereira da Costa, de 54 anos, são de Sumaré.

O piloto fugiu após o acidente, deixando o jet ski e seu carro, um Fiat Uno, no local. Sua mulher compareceu à Delegacia de Paulínia e entregou os documentos do veículo, do jet ski e documentos pessoais do marido. A Polícia Civil de Paulínia determinou a apreensão do carro e do jet ski, que passaram por perícia. Até o fim da tarde desta segunda-feira policiais civis permaneciam em diligência e o suspeito não havia sido preso. Ele será indiciado por homicídio culposo e lesão corporal culposa.

Correia afirmou que não considera o piloto do jet ski foragido, pois o advogado do suspeito teria ligado para a delegacia avisando que seu cliente vai se apresentar nesta terça-feira.

Leia mais sobre acidentes

    Leia tudo sobre: campinashomicídiojet ski

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG