Polícia investiga morte de líder comunitário no Rio de Janeiro

RIO DE JANEIRO - A polícia do Rio investiga a morte do líder comunitário conhecido como Marcão ocorrida na manhã desta quarta-feira no bairro Gardênia Azul, na zona oeste da cidade. Segundo testemunhas, ele foi abordado por dois homens no interior de um condomínio erguido numa área de invasão. Houve uma discussão e um dos homens atirou em Marcão. Ele foi morto com seis tiros, sendo três deles na cabeça.

Agência Estado |

O líder comunitário é conhecido na região pela construção de prédios e casas improvisadas em favelas da zona oeste. Há uma semana, a Prefeitura do Rio demoliu uma das construções de Marcão , no Recreio dos Bandeirantes, durante a operação Choque de Ordem.

Marcão concorreu a uma vaga de vereador pelo PSC em 2008, mas não foi eleito. Segundo a titular da 32ª DP (Taquara), Carla Tavares, o líder comunitário já foi preso em flagrante por furto de energia e alvo de acusações de estelionato e invasão de terra.

Ele também é suspeito de associação com a milícia que atua na região. A delegada acompanhou o trabalho da perícia no local e depois ouvirá o depoimento de familiares de Marcão.

Leia mais sobre: líder comunitário

    Leia tudo sobre: assassinatolíder comunitáriomilíciamilícias

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG