Polícia investiga morte de bebê em creche de São Paulo

A polícia começa a ouvir hoje a proprietária e os funcionários da Creche Pedacinho da Lua, na Vila Medeiros, na zona norte de São Paulo, onde o bebê Gabriel Ribeira, de 7 meses, morreu de parada cardiorrespiratória na última sexta-feira. Também está previsto o depoimento do médico do Hospital Nipo Brasileiro, responsável pelo atendimento da criança.

Agência Estado |

Ao tentar entubar o menino, o profissional encontrou restos de comida em sua garganta. Os pais de Gabriel serão ouvidos novamente.

Eles acusam a creche de negligência. O delegado titular do 90º Distrito Policial (Parque Novo Mundo), Sérgio Alves, diz que é preciso “cautela” antes de qualquer avaliação. “Temos de esperar o exame necroscópico chegar.” O documento, segundo ele, fica pronto em no máximo 30 trinta dias.

No dia em que morreu, a criança ficou por três horas na creche particular. Ela chegou às 11 horas com a mãe, com uma papinha de legumes na lancheira. Às 14h10 o pai, Júlio César Ribeira, foi pegar Gabriel, mas encontrou o filho no berço sem respiração e arroxeado.

Ontem, a creche amanheceu fechada por luto. Em um comunicado divulgado no site da unidade, a direção considerou o caso como “fatalidade”. A carta ainda informou que inspetores da Prefeitura de São Paulo avaliam com freqüência o projeto pedagógico e as normas de segurança da escola. A unidade é regularizada pelo governo municipal desde 1999. A Secretaria Municipal de Educação confirmou que a última vistoria foi realizada no mês passado. O órgão acrescentou que a unidade está dentro dos padrões de segurança e que os funcionários passaram por cursos de primeiros socorros. As informações são do Jornal da Tarde.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG