Polícia investiga morte de acrobata no Rio

O acrobata da Intrépida Trupe, Caio Guimarães, de 36 anos, foi encontrado morto na noite de ontem dentro de casa, no bairro Santa Teresa, zona sul do Rio. Ele foi assassinado com um golpe de marreta na cabeça.

Agência Estado |

Da casa, foram levados alguns objetos, entre eles o computador da vítima.

A polícia investiga tanto latrocínio (roubo seguido de morte) quanto a hipótese de os objetos terem sido levados do apartamento depois do assassinato, apenas para tentar prejudicar as investigações.

A última pessoa que esteve com Caio em casa foi seu irmão Anderson Guimarães de Jesus, segundo informações que o porteiro do prédio forneceu aos policiais. Anderson, considerado o principal suspeito pela polícia, ainda não foi encontrado para prestar depoimento.

Segundo o delegado Fernando Veloso, da 7ª Delegacia de Polícia, o corpo do artista foi encontrado por um colega da Intrépida Trupe que havia ido procurá-lo, já que ele não havia comparecido a um compromisso. A polícia encontrou no apartamento a marreta usada no crime.

O corpo do acrobata foi sepultado hoje à tarde no Cemitério São João Batista, em Botafogo, zona sul. Em razão da morte, a Fundação Nacional de Artes (Funarte) informou que a abertura do projeto Coleções foi adiada. O projeto envolve a interação de acrobatas da Intrépida Trupe com obras dos artistas visuais Raul Mourão, Marta Jourdan, Guga Ferraz e Pedro Bernardes, no Palácio Gustavo Capanema, no Centro do Rio. Uma nova data para o evento de abertura será anunciada em breve.

A Intrépida Trupe mistura teatro, dança e circo em suas apresentações. Nasceu durante a Copa do México, há 23 anos, no Circo Voador (point de jovens cariocas no bairro da Lapa) com integrantes de vários movimentos teatrais e circenses.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG