Polícia investiga golpes na venda de abadás em Salvador

A polícia baiana investiga golpes aplicados em foliões por três sites que anunciam vendas de abadás por preços abaixo dos cobrados no mercado. Um deles, o site Abadá S/A, retirado do ar na madrugada de hoje, foi descoberto há duas semanas, depois que um empresário de Salvador recebeu um telefonema de um cliente do Rio de Janeiro que queria saber como retiraria os abadás.

Agência Estado |

"Quando vi, eles estavam usando o endereço e o telefone da minha empresa como central de atendimento", afirma Gileno Carvalho, proprietário de uma empresa que aluga equipamentos de áudio e vídeo. "Nunca vendi abadás."

A polícia já identificou algumas vítimas. Entre os casos conhecidos está o de uma turista de Santa Catarina, que chegou à capital baiana na terça-feira e procurou o empresário para saber como retirar os convites, dois de camarote e dois de blocos, pelos quais pagou R$ 720. O preço deles, pelo mercado, seria de R$ 1.200.

O delegado da 1ª Delegacia, Omar Andrade, disse que o site específico foi rastreado. Ele está registrado no Rio de Janeiro e hospedado nos Estados Unidos no nome de um mecânico de Vitória, no Espírito Santo. A conta bancária utilizada pelos golpistas é de um feirante de 19 anos, de Salvador. Ambos negam participação no esquema. Ainda não se sabe o número total de vítimas.

"É importante que os foliões comprem os convites diretamente dos fornecedores, que têm páginas próprias de vendas pela internet, ou de agências de viagens conhecidas", afirmou o delegado. "E que desconfiem caso encontrem preços muito mais baixos que os anunciados pelos blocos e camarotes."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG