Polícia indicia suspeito de matar remadora do Flamengo

Com base em resultados de um exame de DNA, a polícia do Rio de Janeiro indiciou e apresentou hoje Francisco Itamar Nonato Pedrosa como autor do estupro e assassinato da remadora do Flamengo, Priscila da Silva Souza. O ataque aconteceu em dezembro do ano passado num acesso ao Parque da Cidade, na Gávea, zona sul da capital fluminense.

Agência Estado |

Suspeito do crime, ele foi preso poucos dias depois da morte da atleta, após ser reconhecido por uma mulher que também se disse vítima de estupro cometido por ele, um ano antes.

Segundo o inspetor Alexandre Estelita, que investigou o caso, além dos exames, contradições no depoimento de Pedrosa, de 41 anos, já apontavam que ele era o autor do crime. Estelita informou que o ataque contra a senhora, de 56 anos, cujo nome não foi divulgado, aconteceu próximo ao local onde o corpo de Priscila foi encontrado. "O Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) comparou material coletado do suspeito com o da remadora. O resultado deu positivo", disse o inspetor.

Priscila, de 26 anos, foi encontrada em 16 de dezembro sem roupas e com marcas de espancamento e violência sexual. O ataque teria ocorrido três dias antes, última vez que ela foi vista por amigos, quando participou de um treino com remadores do Flamengo, nas Paineiras. A jovem morava na comunidade que existe na mata acima do Parque da Cidade.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG