SÃO PAULO A polícia de São Paulo indiciou nesta terça-feira o hacker João Sperandio Neto, de 22 anos, suspeito de operar fraudes bancárias milionárias, via internet. O jovem, que confessou a operação criminosa, é acusado de furto qualificado e formação de quadrilha.

Em menos de 10 dias, em setembro passado, Sperandio Neto teria desviado mais de 2,2 milhões de contas correntes de um dos maiores bancos privados do País para 28 favorecidos, entre pessoas físicas e jurídicas, que estão sendo rastreadas pela polícia. Como parte desse dinheiro foi bloqueado, a instituição financeira declarou apenas um prejuízo de cerca de R$ 180 mil.

No ano passado, Sperandio Neto já havia coordenado uma fraude bancária que desviou cerca de R$ 90 milhões de uma agência bancária de Santa do Livramento, no Rio Grande do Sul. Ele ficou preso de outubro a fevereiro deste ano, entre unidades da cidade gaúcha e de Mogi das Cruzes, município em que mora com os pais na Grande São Paulo. A polícia investiga se o jovem era extorquido por facções criminosas para operar as fraudes. Como tem antecedente na mesma prática, o jovem pode ser condenado de dois a oito anos de prisão.

Depoimento

Mais do que a quantia declarada ou desviada, o que chamou a atenção dos policiais da unidade de inteligência policial do Decap (Departamento de Polícia Judiciária da Capital), onde o jovem foi interrogado ontem, foi a capacidade do hacker em violar sistemas de segurança pelas páginas da internet.

Na delegacia, para demonstrar como violava os sistemas, Sperandio Neto entregou nas mãos dos policiais os códigos de 80 contas correntes garimpadas via internet, em poucos minutos, com números e senhas das respectivas contas. Entre elas, havia os dados bancários de um senador da República. As informações são do Jornal da Tarde.

Leia mais sobre: hacker

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.