Polícia flagra reunião do PCC e prende 13 em SP

Uma operação das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) prendeu 13 acusados de integrar o Primeiro Comando da Capital (PCC), aprendeu armas, drogas e R$ 150 mil, além de estourar um laboratório para o refino de cocaína e crack na Favela Monte Azul, perto do Terminal João Dias, zona sul de São Paulo. Entre os presos está Alexandre Campos dos Santos, o Jiló, foragido da Justiça e acusado de ser um dos líderes da facção criminosa.

Agência Estado |

Os homens da Rota haviam recebido informações sobre uma reunião do PCC na quadra de esportes da favela. “Sabíamos que uns 20 bandidos estariam no encontro, no qual pretendiam discutir a organização do tráfico”, afirmou o major Francisco Andrade Junior, subcomandante da Rota.

Três pelotões com 60 homens do batalhão foram enviados para cercar a quadra enquanto outros dois, com 40 agentes permaneceram fora da favela controlando o perímetro da Monte Azul. “Quando nossos homens chegaram, os bandidos atiraram. Não revidamos, pois a quadra de esportes é ao lado de uma creche”, afirmou o major. Apesar dos tiros, ninguém ficou ferido.

Dez acusados foram presos na quadra, enquanto os demais participantes da reunião fugiram correndo pelos telhados das casas. Como a favela estava cercada, os policiais da Rota passaram a revistar os locais suspeitos com base em denúncias recebidas pelo Centro de Operações da Polícia Militar (Copom). Assim, outros três acusados foram localizados na área. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG