nesta quinta-feira para a saída voluntária dos não-índios da reserva Raposa Serra do Sol, em Roraima, começa nesta sexta a Operação Upatakon 3, para retirada forçada dos que ficarem na área. A ordem é para retirar as pessoas e, depois, as benfeitorias e animais." / nesta quinta-feira para a saída voluntária dos não-índios da reserva Raposa Serra do Sol, em Roraima, começa nesta sexta a Operação Upatakon 3, para retirada forçada dos que ficarem na área. A ordem é para retirar as pessoas e, depois, as benfeitorias e animais." /

Polícia Federal vai retirar arrozeiro que não deixar reserva em Roraima

RORAIMA - Com o fim do prazo http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2009/04/30/arrozeiros+tem+ate+meia+noite+para+deixar+reserva+em+rr+5856914.html target=_topnesta quinta-feira para a saída voluntária dos não-índios da reserva Raposa Serra do Sol, em Roraima, começa nesta sexta a Operação Upatakon 3, para retirada forçada dos que ficarem na área. A ordem é para retirar as pessoas e, depois, as benfeitorias e animais.

Agência Estado |

    Deverão ser mobilizados cerca de 400 homens da Polícia Federal e da Força Nacional de Segurança. O superintendente da Polícia Federal em Roraima, delegado José Maria Fonseca, planejou a montagem de três bases policiais na área indígena, para evitar conflitos.

    AE
    Vista do vilarejo Surumu, situado dentro da reserva indígena em Roraima

    Grupos de fiscais do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e da Agência Nacional de Águas (Ana) também acompanham a operação para fazer levantamentos sobre danos ambientais.

    Na terça-feira, três arrozeiros foram autuados em R$ 40,8 milhões por desrespeito a normas de preservação do meio ambiente. Em maio do ano passado, outros R$ 30,6 milhões foram lançados em multas, pelos mesmos motivos. As multas do fazendeiro Paulo César Quartiero, maior produtor de arroz do Estado, chegam a quase R$ 50 milhões.

    Agência Brasil
    Destroços na fazenda que era ocupada por Paulo César Quartiero

    A retirada dos arrozeiros da reserva indígena divide os indigenistas. A advogada do Instituto Sócio-Ambiental (ISA), Ana Paula Souto Maior, considera a data extremamente significativa para que as etnias que vivem no local, que terão condições de planejar o futuro, livres de ameaças e agressões por parte dos invasores. Para o ex-presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), o sertanista Sidney Possuelo, o governo ainda "terá muitas dores de cabeça" com as "restrições à posse da reserva".

    Entre os problemas, ele cita a autorização expressa para que o Exército ou outros órgãos do governo entrem na área sem precisar avisar aos índios. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia também:

    Leia mais sobre: Raposa Serra do Sol

      Leia tudo sobre: raposa serra do sol

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG