como adiantou o Congresso em Foco, a veracidade da ata da reunião entre o fazendeiro Regivaldo Pereira Galvão ¿ principal suspeito de assassinar a missionária americana Dorothy Stang, em 2005, em Anapu (PA) ¿ e o chefe de unidade do órgão em Altamira (PA), Ulair Batista Nogueira, a Polícia Federal decidiu abrir inquérito nesta quarta-feira para apurar o encontro." / como adiantou o Congresso em Foco, a veracidade da ata da reunião entre o fazendeiro Regivaldo Pereira Galvão ¿ principal suspeito de assassinar a missionária americana Dorothy Stang, em 2005, em Anapu (PA) ¿ e o chefe de unidade do órgão em Altamira (PA), Ulair Batista Nogueira, a Polícia Federal decidiu abrir inquérito nesta quarta-feira para apurar o encontro." /

Polícia Federal retoma hoje investigações sobre o caso Dorothy

Apesar de o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) negar, http://congressoemfoco.ig.com.br/Ultimas.aspx?id=25454 target=_topcomo adiantou o Congresso em Foco, a veracidade da ata da reunião entre o fazendeiro Regivaldo Pereira Galvão ¿ principal suspeito de assassinar a missionária americana Dorothy Stang, em 2005, em Anapu (PA) ¿ e o chefe de unidade do órgão em Altamira (PA), Ulair Batista Nogueira, a Polícia Federal decidiu abrir inquérito nesta quarta-feira para apurar o encontro.

Congresso em Foco |

AP
Dorothy Stang
Dorothy Stang morta em 2005
A reunião entre o fazendeiro e o representante do órgão ocorreu no dia 28 de outubro, na unidade do Incra em Anapu. Na ocasião, Regivaldo teria declarado como seu 2,5 mil hectares do lote 55 ¿ local em que irmã Dorothy foi assassinada ¿ e proposto ceder parte da terra ao Incra. Em troca, o fazendeiro queria obter a autorização do órgão para utilizar a outra parte do lote para criar gado.

Leia reportagem completa no Congresso em Foco

    Leia tudo sobre: congresso em foco

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG