Polícia Federal realiza operação na sede do Opportunity no Rio e em São Paulo

SÃO PAULO - A Polícia Federal (PF) esteve nesta quarta-feira nas sedes do banco Opportunity em São Paulo e no Rio de Janeiro para cumprir mandados de busca e apreensão vinculados a investigações da Operação Satiagraha. Segundo a Polícia Federal, a busca tem como objetivo apreender os livros fiscais de registro obrigatório dessas empresas. Os mandados foram expedidos pelo juiz Fausto De Sanctis, da 6ª Vara Federal de São Paulo, após manifestação favorável do Ministério Público Federal (MPF).

Redação |

De acordo com nota da PF, a apreensão dos documentos é necessária devido a indícios de supostas fraudes nas transferências financeiras do Grupo Opportunity. A Polícia Federal afirma que os livros fiscais foram solicitados, mas o Opportunity teria se recusado a apresentá-los sob a afirmação de que a PF já possuía tais documentos em meio eletrônico.

Entretanto, as autoridades policiais afirmam possuir só parte das informações solicitadas e também dizem que "a resistência por parte dos dirigentes das empresas motivou a realização das buscas."

Crime financeiro

De acordo com informações do Ministério Público Federal, os policiais buscam documentos que comprovariam a violação do artigo 17 da Lei de Crimes Financeiros, que proíbe que pessoas ou empresas de um mesmo grupo contraiam empréstimos entre si. As investigações da Satiagraha teriam revelado indícios de que diferentes empresas e diretores do Opportunity realizaram essas operações, conhecidas como "empréstimos vedados".

"Foi pedido ao Opportunity que enviasse dentro do inquérito da Satiagraha uma cópia desses contratos de empréstimo, mas isso não aconteceu", disse a assessoria do MPF.

Os policiais não informaram se o destino do material apreendido será a sede da Superintendência da PF no Rio ou se as apreensões partirão diretamente para a capital paulista.

Satiagraha

A Operação Satiagraha, da Polícia Federal, foi deflagrada em julho do ano passado na sequência de investigação sobre suposto esquema de desvio de verbas públicas, corrupção e lavagem de dinheiro. Foram expedidos 24 mandados de prisão. Entre os presos estiveram Daniel Dantas, o ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta e o investidor Naji Nahas. Todos foram libertados.

A ação da PF no Opportunity foi mencionada nesta quarta por deputados na CPI dos Grampos durante o depoimento do delegado da PF Protógenes Queiroz.

(Com informações das agências Estado e Reuters)

Leia mais sobre: Daniel Dantas  - Opportunity

    Leia tudo sobre: daniel dantas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG