Polícia Federal prende quatro pessoas por crimes contra a Previdência Social no Rio

RIO DE JANEIRO ¿ Quatro pessoas foram presas na manhã desta segunda-feira em uma ação da Polícia Federal para desarticular uma quadrilha que praticava crimes contra a Previdência Social nos municípios de Sumidouro, Teresópolis e Nova Friburgo, na Região Serrana do Estado do Rio. De acordo com a PF, o grupo agia há pelo menos três anos e a estimativa é de que a quadrilha tenha causado um prejuízo de cerca de R$ 500 mil à Previdência.

Redação |

No total, foram expedidos pela Justiça Federal de Nova Friburgo para a Operação Matuto quatro mandados de prisão temporária e dez de busca e apreensão, sendo todos cumpridos.

Entre os presos na ação policial, está um servidor público. Os detidos irão responder pelos crimes de estelionato qualificado e formação de quadrilha, cuja pena pode variar entre dois e oito anos de prisão.

Segundo a PF, as investigações tiveram início há seis meses e apontaram fraudes em ações judiciais relativas a requerimentos de auxílio-doença.

O esquema consistia no aliciamento de pessoas, de preferência trabalhadores rurais, que eram orientadas a utilizar atestados médicos de incapacidade laboral fornecidos pelo mentor e seus colaboradores e requerer na Justiça o recebimento de auxílio-doença.

No entanto, perícias realizadas nos atestados utilizados concluíram a inexistência das doenças alegadas ou que estas eram pré-existentes à qualidade de segurado dos requerentes.

A operação foi coordenada pela Força Tarefa Previdenciária, composta pelo Departamento de Polícia Federal, Ministério da Previdência Social e Ministério Público Federal.

Leia mais sobre: Previdência Social

    Leia tudo sobre: fraudeoperação da pfpolícia federalprevidência

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG