Entre os presos estão um ex-superintendente do Porto de Paranaguá e um funcionário do Tribunal de Contas do Paraná

O ex-superintendente do Porto de Paranaguá Daniel Lúcio de Oliveira e um funcionário do Tribunal de Contas do Paraná estão entre as oito pessoas presas nesta quarta-feira, pela Polícia Federal (PF), durante a Operação Dallas, que envolveu operações no Paraná, em Santa Catarina e no Rio de Janeiro.

A quadrilha é acusada de desviar cargas do Porto de Paranaguá. O ex-superintendente do terminal foi preso no Rio de Janeiro. Os demais foram transferidos para a sede da PF, em Curitiba. Segundo o agente da PF, Marco Koren, ainda faltam dois mandados de prisão para serem cumpridos.

Foram 43 mandados que resultaram na apreensão de computadores, notas fiscais e documentos que serão analisados pela polícia.

As investigações tiveram início há dois anos após a Receita Federal receber denúncias e reclamações de alguns exportadores, de faltas de cargas nos embarques em navios graneleiros.

Segundo Koren, estima-se que a cada safra os desvios chegavam a 10 mil toneladas, sendo a tonelada cotada a R$ 700,00. Dentre os produtos desviados destaca-se a soja, farelo, milho, açúcar e trigo.

Participaram também da operação 33 auditores-fiscais da Receita Federal, além de 200 servidores da PF.

Se ficar comprovada a fraude, os envolvidos poderão responder pelos crimes de estelionato, apropriação indébita, falsidade ideológica, inserção de dados falsos em sistemas informatizados, descaminho e formação de quadrilha.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.