Foram apreendidos nove carros de luxo, duas motocicletas, 20 computadores, documentos e carimbos de várias prefeituras do PB

selo

A Polícia Federal (PF) prendeu nesta quarta-feira seis pessoas na Paraíba e uma em São Paulo acusadas de integrar uma quadrilha especializada em fraudar licitações em 35 municípios paraibanos. A "Operação Gasparzinho" foi deflagrada pela PF, em conjunto com a Controladoria Geral da União (CGU) e Ministério Público Federal (MPF). 

Segundo o delegado Alexandre Isbarrola, os agentes envolvidos na operação apreenderam nove carros de luxo, duas motocicletas, 20 computadores, documentos e carimbos de várias prefeituras em um condomínio de luxo em João Pessoa. 

Inquérito policial investigará a suposta participação de prefeitos, secretários municipais e servidores nas fraudes. O delegado calcula que a quadrilha tenha desviado R$ 23 milhões dos cofres públicos durante três anos, em 35 prefeituras. 

De acordo com a PF, empresários da área de construção civil utilizavam empresas de fachada para fraudar as licitações e ocultar bens obtidos com o lucro do crime. Também utilizavam pessoas fictícias criadas para movimentar valores e registravam bens usados pela quadrilha, principalmente veículos. Os nomes dos presos não foram revelados pela PF. Eles responderão pelos crimes de formação de quadrilha, fraudes em licitações, falsificação de documentos, sonegação de tributos e lavagem de dinheiro. 

Segundo o procurador da República na Paraíba, Victor Veggi, há indícios da participação de prefeituras no esquema. "Foram apreendidos alguns carimbos de prefeituras. São indícios. Isto será apurado na segunda fase da investigação", declarou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.