Polícia Federal encontra grampos na Assembleia Legislativa da Paraíba

Aparelho estava no gabinete da Presidência do Legislativo do Estado

Renata Baptista, iG Pernambuco |

Após a Polícia Federal identificar, no mês passado, a existência de grampo telefônico que captava as conversas no gabinete da Presidência da Assembleia Legislativa, o presidente da Casa, deputado Ricardo Marcelo (PSDB), afirmou que vai pedir ao Ministério Público que conduza uma investigação do caso.

A perícia da Polícia Federal foi solicitada pelo tucano, que preferiu não apontar possíveis responsáveis pelos grampos. "Jamais me permitiria levantar qualquer suspeita ou a mínima insinuação de quem estaria por trás disso ou mesmo quem teria interesse de escutar ilegalmente o que se passava no meu gabinete. Mas é preciso que esse fato, que considero de extrema gravidade, seja completamente apurado", afirmou, em nota.

Ricardo Marcelo afirmou ainda que, após ouvir a recomendação do Ministério Público, é que vai solicitar a abertura de um inquérito policial para investigar o caso.

De acordo com o laudo da Polícia Federal, o equipamento para gravações, medindo 23 por 7 milímetros, estava escondido debaixo da mesa do deputado, encapsulado em material plástico de cor preta, ligado a três fios. Esse equipamento de espionagem se encontrava conectado nos fios de telefone, escondido no interior de uma das caixas de telefonia.

    Leia tudo sobre: paraíbagrampo telefônico

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG