Polícia Federal destrói plantação de droga que seria de Fernandinho Beira-Mar

Cerca de 1,200 milhão de pés de maconha, plantados em 125 hectares, que produziriam cerca de 390 toneladas da droga e renderiam cerca de US$ 4 milhões, foram destruídos ontem pela Polícia Federal, no Mato Grosso do Sul.

Agência Estado |

AP
Beira-Mar em foto de arquivo
Fernandinho Beira-Mar em foto de arquivo
De acordo com a PF, uma das fazendas vistoriadas durante a Operação Nova Aliança, ação conjunta entre a PF e a Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai (Senad), seria do traficante carioca Fernandinho Beira-Mar. Seis brasileiros foram presos.

Os presos, de acordo com a PF, estariam ligados ao Primeiro Comando da Capital (PCC) e estavam na Fazenda Jericó, de propriedade do chefe do crime organizado do PCC no Paraguai, C.A.C., preso há algumas semanas na posse de cocaína na Bolívia.

Foram encontrados também indícios que a fazenda Campanai, localizada ao sul de Pedro Juan Caballero, em território paraguaio, pertenceria ao traficante Beira-Mar. A propriedade seria fruto de lavagem de dinheiro praticada pelo criminoso. A ação se concentrou nas regiões do norte do Paraguai, numa zona conhecida como corredor da droga, pela circulação expressiva de entorpecente.

Durante a operação, que durou dez dias, foram encontrados 42 acampamentos que davam suporte às plantações, 43 clareiras, além de 16 prensas e 474 quilos de sementes. Havia também cerca de 12 toneladas da droga já pronta para consumo. A operação Nova Aliança é fruto de um convênio internacional celebrado há cerca de 13 anos entre o Brasil e o Paraguai no combate ao tráfico de drogas.

Leia mais sobre Fernandinho Beira-Mar 

    Leia tudo sobre: fernandinho beira-mar

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG