A Polícia Federal (PF) de Alagoas deflagrou nesta terça-feira a operação Voto de Cabresto, que teve por objetivo o cumprimento simultâneo de dez mandados de busca e apreensão nas residências de cabos eleitorais e de dois vereadores eleitos em Maceió: Nery Almeida (PP) e Dino Júnior (PCdoB).

Os dois são acusados de compra de votos e aliciamento de eleitores. Eles negam as acusações, mas a PF já indiciou Almeida e deverá fazer o mesmo com o representante do PCdoB.

Segundo a assessoria de imprensa da PF, os mandados de busca e apreensão foram executados por cerca de cem policiais federais de Alagoas e de outros Estados. As buscas foram realizadas em residências, apartamentos e em estabelecimentos comerciais nos bairros do Feitosa, Jacintinho, Cruz das Almas e Jatúca.

Os agentes apreenderam um revolver calibre 38 em poder de um cabo eleitoral de Nery Almeida, que é primo do prefeito eleito de Maceió, Cícero Almeida (PP).

Foram apreendidos vários "santinhos" do então candidato Almeida e um notebook que seria do vereador eleito, conforme a PF. Os agentes apreenderam ainda listas com nomes de cabos eleitorais e eleitores, com vários valores que cada um receberia na captação e na venda de votos.

De acordo com o delegado Delano Cerqueira, que comandou a operação, os mandados de busca e apreensão foram expedidos pela Justiça Eleitoral com o objetivo buscar novas provas da corrupção eleitoral supostamente praticada pelos dois vereadores.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.