Polícia está convencida que Mohamed Santos matou e esquartejou inglesa

GOIÂNIA - O delegado que coordena as investigações sobre o homem que teria matado e esquartejado a garota inglesa Cara Marie Burke, de 17 anos, está convencido de que Mohamed Carvalho Santos, de 20 anos, é mesmo culpado pela morte da menina.

Redação |


Ao ser questionado pela reportagem do  Último Segundo  sobre uma possível "volta atrás" do suspeito, que teria dito que não matou a garota, o Dr. Jorge Moreira disparou: Pra mim ele não negou, e mesmo que tenha negado não me interessa, a polícia já tem provas materiais contra ele.

Futura Press
Um áudio gravado por policiais militares que efetuaram a prisão do suspeito complica ainda mais a situação de Mohamed. Nele, o acusado conta como matou a vítima e tenta subornar os militares.

Mohamed   - Ela ficou um pouco lá, sentada no sofá. Eu peguei, passei por ela e meti a mão na boca dela... Aí, comecei a furar ela....
Policial - Depois você fez o que?
Mohamed   - Aí, depois, eu arrastei o corpo para o banheiro e larguei lá.
Policial - hã?
Mohamed   - E no outro dia que eu voltei.


Mohamed   - Quero negociar. R$ 70 mil.
Policial - R$ 70 mil? Você quer oferecer para nós para liberar? Você tem esse dinheiro aí?
Mohamed   - Aqui não, mas na conta da minha mãe tem um pouco.
Policial - A maior recompensa que um de nós pode receber é ver um psicopata igual a você atrás das grades.

Buscas pelo corpo

Na manhã desta sexta-feira, Mohamed levou policiais e bombeiros ao local onde supostamente teria jogado partes do corpo de Cara Marie.

As buscas estão concetradas em um pequeno rio do município de Bonfinópolis, interior de Goiás.

Mohamed já deixou o local e voltou para a delegacia de homícidios de Goiás, porém, as buscas continuam por tempo indeterminado, dizem os bombeiros.

Cúmplice no crime

O delegado adjunto da delegacia de homocídios de Goiás, Kleyton Alencar, disse que a polícia fez avanços no sentido de identificar um suposto homem que ajudou Mohamed a transportar o corpo de Cara.

Renato Conde / Diário da Manhã / AE
Bombeiros realizam buscas em local indicado por Mohamed

"Pelo que apuramos, esse homem, conhecido como Jorginho, era amigo de Mohamed e tinha conhecimento do que transportava, o que o coloca como co-autor do assassinato", disse. "Estamos trabalhando para capturá-lo, e já conseguimos informações que vão nos ajudar", completou.

Grau de relacionamento

A polícia investiga também o grau de intimidade entre Mohamed e Cara. Oficialmente eles seriam apenas amigos, mas essa versão também está sendo investigada. "Eles moraram juntos três meses, se viam com freqüencia, é possível que tenham sido mais que amigos", disse Kleyton.

Com reportagem de Felipe Leal e Gregório Russo, do Último Segundo

Leia mais sobre: assassinatos


    Leia tudo sobre: são paulo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG