Polícia esclarece assassinato de italiano em Alagoas

A Polícia Civil de Alagoas esclareceu hoje o assassinato do turista italiano Nicholas Pignataro ocorrido em maio desde ano. Pignataro foi seqüestrado e morto a tiros.

Agência Estado |

Seu corpo foi encontrado junto com o do ambulante, identificado como Pixote, num canavial da Barra de São Miguel, a 35 quilômetros de Maceió.

O diretor geral da Polícia Civil, delegado Marcílio Barenco, disse que a prisão da comerciante Sirlene da Silva, hoje, no Sítio Cabreiras, em Marechal Deodoro, esclareceu o duplo assassinato. Segundo o delegado, Sirlene confirmou que ela e três traficantes planejaram e executaram Pignataro e Pixote. Os outros acusados foram identificados como sendo os irmãos Telmo, `Difunto' e `Nego'.

Pignataro e Pixote foram acusados pelo roubo de R$ 3 mil em dinheiro e R$ 2 mil em crack de um ponto de venda de drogas instalado na residência de Sirlene, que na época era proprietária de um bar na periferia de Marechal Deodoro. Sirlene revelou à Polícia ter informado aos irmãos traficantes que o italiano e o ambulante tinham praticado o roubo. "Eles me disseram que não se preocupasse, porque iam resolver o problema, visto que a droga era deles", declarou a acusada.

Ela confirmou também que as vítimas foram seqüestradas de seu bar pelos primos Alexandre Nunes Ferreira e Flávio Nunes dos Santos, que foram presos por porte ilegal de arma, quando eram investigados por suspeita de envolvimento no duplo homicídio. Os dois estão presos, mas Telmo, `Difunto' e `Nego' continuam foragidos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG