Polícia e DER reforçam socorro nas rodovias de SP

Carros que quebram na estrada, motoqueiros que trafegam entre automóveis aumentando as chances de pequenos acidentes, motoristas desligados que se esquecem de abastecer e param por falta de gasolina. Para tentar diminuir os congestionamentos de fim de ano, a Polícia Rodoviária Militar e o Departamento de Estradas e Rodagem (DER) vão usar 99 guinchos e disponibilizar quatro pátios ao longo das rodovias que dão acesso ao litoral paulista para agilizar a retirada dos carros parados nas estradas, pequenos obstáculos que causam um efeito dominó e se transformam no principal vilão do trânsito na época de festas.

Agência Estado |

O total de viaturas à disposição para apoio e socorro no Sistema Anchieta-Imigrantes, Rodovia dos Tamoios, Rio-Santos e Oswaldo Cruz será de 197, quase duas vezes mais que o ano passado. Além disso, pela primeira vez, os pátios farão parte da estratégia para garantir o fluxo dos automóveis. É para lá que irão os veículos sem condições de trafegar - os pátios ficarão em São Bernardo, São José dos Campos, Taubaté e Bertioga.

Para dar conta da operação, 1.106 homens do 1º Batalhão da Polícia Rodoviária Militar e 1.050 técnicos do DER, total que chega a ser 20% maior do que a média do resto do ano. “Nessa época de grande movimento, a quebradeira de carros acaba sendo o principal motivo dos congestionamentos. Não custa lembrar o motorista de checar as condições do carro antes de sair, para depois não ter dor de cabeça nas férias”, alerta o secretário adjunto de Transportes, Sérgio Aleixo.

No ano passado, o total de veículos quebrados nas estradas cresceu 118% em relação a 2006. Nas rodovias paulistas que dão acesso às praias, 154.243 veículos pararam nas estradas com problemas, enquanto em 2006 esse número foi de 70.469. Em 58% dos casos, o motivo foi pane mecânica, problema que muitas vezes pode ser evitado com cuidados básicos, como a checagem da água para evitar o superaquecimento do motor. Em 11% dos casos, os veículos pararam por falta de combustível.

Caso o carro não tenha condições de seguir viagem por não apresentar condições de segurança ou a documentação obrigatória, além da multa, o motorista terá que pagar a diária pelo período em que o veículo ficar parado no pátio (R$ 33 por dia para carros e R$ 100 para caminhões) e o transporte do guincho. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG