Polícia do Rio faz blitze para coibir assaltos em vias

Na tentativa de frear os arrastões na zona norte do Rio, a Polícia Civil iniciou blitze hoje nas ruas da região e anunciou a transferência da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) da Polícia Civil e também da Academia de Polícia Civil do centro do Rio para um quartel desativado do Exército nas proximidades da Avenida Brasil. A iniciativa é uma tentativa de dar mais segurança a motoristas na zona norte, onde cresceu o número de roubos cometidos por criminosos expulsos de favelas agora dominadas por Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) e refugiados nos complexos do Alemão e da Penha, de onde saem para atacar vítimas nas proximidades.

iG São Paulo |

Na tentativa de frear os arrastões na zona norte do Rio, a Polícia Civil iniciou blitze hoje nas ruas da região e anunciou a transferência da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) da Polícia Civil e também da Academia de Polícia Civil do centro do Rio para um quartel desativado do Exército nas proximidades da Avenida Brasil. A iniciativa é uma tentativa de dar mais segurança a motoristas na zona norte, onde cresceu o número de roubos cometidos por criminosos expulsos de favelas agora dominadas por Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) e refugiados nos complexos do Alemão e da Penha, de onde saem para atacar vítimas nas proximidades.

Hoje, a Polícia Civil começou a realizar batidas por 90 dias nas regiões. Agentes de diversas delegacias especializadas patrulharão as principais vias dos bairros, de 17h às 23h, para garantir a segurança na volta do trabalho. Na segunda-feira, porém, um arrastão ocorreu por volta de 6h. Pelo menos três motoristas que iam trabalhar pela manhã perderam carros, dinheiro e documentos.

O chefe de Polícia Civil, Allan Turnowski, disse que a ação é um "cerco tático" aos traficantes. "A ideia é asfixiá-los para fazer as operações no momento apropriado", afirmou ele, sem fixar um prazo para a polícia entrar nos complexos do Alemão e na Penha.

Além da Core e da Academia de Polícia Civil, o Batalhão de Operações Especiais (Bope) da PM também vai transferir as instalações para o Complexo da Maré. A Polícia Civil ainda transferirá quase todas as delegacias especializadas para a Cidade da Polícia, em frente à Favela do Jacarezinho. A inauguração da obra orçada em R$ 40,8 milhões está prevista para ocorrer até o fim do ano.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG