Policiais da 30ª Delegacia de Polícia (DP) identificaram um homem, preso no mês passado, como autor de roubos, estupros e prática de atentado violento ao pudor contra pelo menos 15 mulheres no último ano, no Rio de Janeiro. Ubirajara Macena de Souza, de 35 anos, foi reconhecido por vítimas que prestaram queixas em unidades policiais de diferentes pontos das zonas norte e oeste da cidade, como a Tijuca, Madureira, Campinho e Marechal Hermes.

Segundo o titular da 30ª DP, delegado Hércules Nascimento, ele foi preso horas depois de abusar de uma jovem que conseguiu memorizar a placa do automóvel que ele usava. A moça contou na delegacia que foi abordada por Ubirajara em uma rua em Marechal Hermes com uma arma. O suspeito obrigou que ela entrasse em seu carro, usou o cartão bancário dela para pagar a gasolina do veículo (cerca de R$ 20) e sacar R$ 60.

"Depois, ele a levou para uma rua deserta atrás do Madureira Shopping e abusou dela. Só que, mesmo com medo e ameaçada por uma arma, ela conseguiu decorar a placa do carro. Fizemos o rastreamento e ele era o quarto ou quinto que havia comprado o carro. Conseguimos prendê-lo, a foto dele foi para o sistema e, com o tempo, várias mulheres começaram a vir aqui e a outras delegacias para reconhecê-lo", disse Nascimento.

O delegado explicou que a forma de agir era sempre parecida, ele usava uma arma para intimidar as vítimas, roubava seus pertences e depois estuprava. Ubirajara não tinha antecedentes criminais e não foi encontrado armado. Ele morava em Oswaldo Cruz, na zona norte da capital fluminense. De acordo com o delegado, o suspeito alegou ser metalúrgico desempregado e negou os crimes.

Sigilo

Depois de a foto dele aparecer em programas de televisão e jornais, outras mulheres passaram a procurar delegacias para reconhecê-lo. "É importante deixar claro para essas mulheres, que elas jamais serão vistas por ele no reconhecimento, que é feito através de um vidro especial. É muito importante que as vítimas, mesmo assustadas e traumatizadas, procurem a polícia para que ele possa pagar por todos os crimes que cometeu", disse o policial.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.