Polícia descobre enfermarias para traficantes em favelas do Rio

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Em menos de 24 horas, a polícia do Rio de Janeiro encontrou duas enfermarias usadas para atender traficantes feridos em confrontos com policiais, de acordo com a Secretaria de Segurança do Estado. As duas enfermarias foram descobertas em operações nas favelas de Manguinhos e Jacarezinho, na zona norte da capital. Nos locais, foram encontrados medicamentos, gases, seringas, ataduras, curativos e radiografias. Uma cama também era usada como uma maca improvisada.

Reuters |

As enfermarias funcionavam em casas das comunidades. "Eles estão aqui todo dia. Não vem de branco para não chamar a atenção, mas todos sabem quem é quem", disse à Reuters uma moradora da favela, que pediu para não ser identificada.

O delegado do Departamento de Polícia do Estado Rodrigo Oliveira confirmou a descoberta de enfermarias na quarta e quinta-feiras.

"Com certeza num prazo curto a gente acredita que vai colocar a mão nessas pessoas que estão de certa forma se associando aos traficantes no sentido de estar tratando da saúde deles", afirmou Oliveira.

Durante a operação policial, houve intenso tiroteio entre policiais e traficantes. Um suposto traficante morreu e três ficaram feridos no tiroteio. A polícia ainda apreendeu drogas, armas, munições e motos roubadas.

A operação mobilizou cerca de 200 homens e contou com apoio de carros blindados e helicópteros.

De acordo com o delegado Marcos Cipriano, titular da Polinter, o objetivo principal da operação era prender o chefe do tráfico daquela localidade, Nilson Roger da Silva de Freitas, de 32 anos, conhecido como "Roger do Jacarezinho". Ele não foi encontrado na comunidade.

"Conseguimos apreender grande quantidade de drogas e localizar outra enfermaria dos traficantes. Com isso enfraquecemos o tráfico de drogas da região, que é considerada uma das mais perigosas do Rio de Janeiro", declarou Marcos Cipriano.

As descobertas da polícia revelam a estrutura dos traficantes do Rio de Janeiro. Na semana passada, a polícia do Rio encontrou uma estufa com plantas de maconha no Morro de São Carlos, na zona norte e, recentemente, estourou uma refinaria de cocaína na favela da Rocinha, na zona sul.

(Por Rodrigo Viga Gaier)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG