Polícia descarta colisão em naufrágio no Lago Paranoá

Após depoimento, dono de lancha disse que ficou ao lado de barco para avisar sobre problemas. Ele ainda auxiliou no resgate

AE |

selo

A Polícia Civil do Distrito Federal esclareceu que o naufrágio do barco Imagination na noite de domingo, no Lago Paranoá, em Brasília, não foi causado pela colisão de uma lancha contra a embarcação. O delegado Adval Cardoso de Matos, da 10ª DP do Lago Sul, tomou nesta terça-feira o depoimento do piloto da lancha, José Carlos Sousa Santos. 

Na verdade, quando o piloto da lancha percebeu que o Imagination estava pendendo fortemente para um lado, aproximou-se para avisar o comandante do barco, que na hora já sabia estar em apuros. Em menos de três minutos, o barco começou a afundar e Santos ajudou a fazer os primeiros resgates. Ele fez pelo menos quatro viagens socorrendo os náufragos. Na primeira, pediu socorro aos bombeiros, que em 20 minutos chegaram ao local.  Veja abaixo o trajeto do barco pelo lago:

Nesta manhã foram divulgados os nomes das seis vítimas do naufrágio cujos corpos já foram resgatados . São elas: João Antônio Fernandes Rocha, o bebê de sete meses; Ester Araújo de Oliveira, 10 anos; Flávia Daniela Pereira Dornel, 22 anos; Vicente Carneiro de Sousa Neto, 31 anos; Paulo de Melo e Adail de Sousa Borges (idades não divulgadas). Os corpos desses dois últimos ainda passam por perícia no Instituto Medido Legal (IML). Os quatro primeiros já tiveram os corpos liberados para que as famílias façam o sepultamento. Os bombeiros ainda trabalham para localizar mais três ou quatro corpos.

Fellipe Bryan, iG Brasília
Equipes de resgate fazem buscas no lago

    Leia tudo sobre: barcolago paranoábrasília

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG